2011: Unidos da Tijuca faz a festa no prêmio Estrela do Carnaval

0 Flares 0 Flares ×

Em festa realizada na tarde deste domingo, no Salão Gávea do Hotel Intercontinental, em São Conrado, o Carnavalesco em parceria com o SRZD realizou a entrega do prêmio Estrela do Carnaval, que este ano chegou a sua quarta edição. Com cerca de 200 convidados, a festividade contou com a presença de personalidades do mundo do samba. O ponto alto da noite foi a participação da comissão de frente da Unidos da Tijuca, vencedora do concurso na categoria. Mostrando a coreografia oficial usada no desfile, o grupo encantou os presentes. A escola do Borel também recebeu o título de melhor escola do Carnaval 2011 do Grupo Especial e melhor casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Marquinhos e Giovanna.

O júri do Estrela do Carnaval deste ano foi formado pela equipe de repórteres e colunistas do Carnavalesco, além de Raphael Azevedo, do Jornal O Dia, Leonardo Bruno, do Jornal Extra e Expresso, e Fábio Fabato, do site Galeria do Samba, como convidados especiais. A apresentação foi do jornalista Rafael Lemos, que no início chamou Leandro Carvalho, da Mangueira, e Ana Paula, da Portela, para receberem os troféus de melhor passista masculino e feminino do Carnaval 2011. Um pouco antes, o jornalista Sidney Rezende lembrou a extensa cobertura feita pela parceria SRZD e Carnavalesco ao longo do ano:

– Estamos o ano inteiro nas quadras e nos eventos. Cobrimos o dia-a-dia das escolas de samba. É uma honra muito grande e um orgulho realizar esta festa. O nosso propósito é o diferencial, Trabalhamos sempre para acertar, mesmo sabendo que isso nem sempre é possível. O samba e o Carnaval são patrimônios da humanidade.

Quem também foi agraciado com o troféu desenvolvido pela artista plástica Mazeredo, foi o mestre-sala da Imperatriz Leopoldinense Phelippe Lemos. Ele recebeu o título de Revelação do Carnaval e agradeceu o apoio recebido da diretoria da escola de Ramos, além de dividir os louros da vitória com sua porta-bandeira, a bela Raphaela Theodoro. O casal mostrou para o público presente, vestindo a fantasia oficial do desfile deste ano, o bailado que encantou a Marquês de Sapucaí. Foi o ano de estreia da dupla como primeiro casal.

Na sequência, dois monstros sagrados do Carnaval carioca também receberam o troféu. Rosa Magalhães venceu pelo belo conjunto de fantasias mostrado com a Vila Isabel e Renato Lage, que assinou o Carnaval do Salgueiro ao lado de sua esposa Marcia Lage, venceu com o melhor conjunto de alegorias do Grupo Especial. A vermelho e branco da Tijuca também ganhou o título de melhor ala das baianas do Grupo Especial.

O comentarista do Carnavalesco, Luis Carlos Magalhães, subiu ao palco logo depois e parabenizou todos os vencedores, além de elogiar o profissionalismo do júri Estrela do Carnaval 2011. Luis também lembrou a importância que os sites especializados em Carnaval deram na amplitude de divulgação da festa.

Jorge Luiz Castanheira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba, também esteve presente e lembrou a importância da imprensa para o engrandecimento do Carnaval. Falou que a Liesa não é uma entidade fechada, e está aberta a sugestões e reivindicações dos sambistas. Castanheira ressaltou também que a entidade não pode interferir na política interna das escolas de samba e, que, caso uma comunidade esteja insatisfeita com os rumos administrativos de sua agremiação, deve organizar-se e encontrar a melhor maneira de resolver o imbróglio.

Algumas notas dadas no Carnaval 2011 foram comentadas pelo dirigente. Ele lembrou que a Liesa sempre busca trazer o que há de melhor para julgar as escolas de samba, mas é preciso ter paciência, pois o desfile das escolas de samba, segundo suas próprias palavras, não é algo simples de se entender. Castanheira garantiu, porém, que não há nenhum tipo de manipulação de resultados no Grupo Especial:

– Se alguém me provar qualquer coisa que seja relacionada à armação de resultados no Grupo Especial, eu entrego o cargo agora – afirmou.

Logo depois foi a vez da bateria do Império Serrano, A Sinfônica do Samba, sob o comando de mestre Gilmar, deleitar o público com um show de ritmo, bossas e convenções. O desempenho dos 250 ritmistas da escola da Serrinha rendeu à escola a premiação de melhor bateria do Grupo de Acesso A. Outro prêmio vencido pelo Império Serrano foi o de melhor samba-enredo do Grupo A. Victor Cunha, que é um dos intérpretes da escola ao lado do seu pai, Carlinhos da Paz, cantou a bela obra ao som da bateria da Verde e Branco.

Pixulé do Império da Tijuca foi bicampeão na categoria melhor intérprete do Grupo A e a Viradouro venceu com a comissão de frente coreografada por Fábio de Mello. O primeiro casal da escola, Róbson e Ana Paula, também foram os vencedores como melhor casal do Grupo A. Os dois completaram 22 anos dançando juntos este ano na Avenida. Fábio de Mello não esteve presente no evento. Segundo André, integrante da comissão viradourense, o coreógrafo teve um problema de saúde e não pôde comparecer.

Para fechar as premiações da divisão de acesso do Carnaval carioca, a Acadêmicos do Cubango recebeu o prêmio de melhor agremiação do sábado de Carnaval. Com enredo sobre a emoção, desenvolvido pelo competente Jaime Cezário, a escola de Niterói acabou ficando na quarta colocação no resultado oficial, fato que gerou muita revolta do presidente Pelé. Ele disse torcer para que o termo ‘’Campeã moral’’ saia do dicionário Aurélio e se torne oficial na história da escola. Pelé revelou também estar ainda magoado com o resultado do Carnaval 2011.

Passando para o Grupo Especial, além das três premiações já citadas para a Unidos da Tijuca, a bateria da Mangueira, depois do emocionante show dado na Marquês de Sapucaí, venceu o Estrela do Carnaval na categoria melhor bateria do Grupo Especial. Os ritmistas comandados por mestre Aílton compareceram ao evento devidamente fantasiados e mostraram a mesma qualidade rítmica que deu a eles o título. Inclusive com direito à paradona, realizada com bastante perfeição, assim como no dia do desfile oficial. O troféu foi entregue por Laerte Gomes, da Capemisa, patrocinadora da festa.

O samba da Beija-Flor de Nilópolis, grande campeã do Carnaval, foi escolhido o melhor. A parceria campeã esteve presente e levantou a plateia ao cantar a emocionante obra do rei Roberto Carlos. O prêmio foi entregue por Jorge Luis Castanheira, que lembrou que a composição fez a diferença no desfile da escola de Nilópolis. Kléber do Sindicato, um dos autores do samba, dedicou a conquista ao seu irmão mestre Taranta, ex-mestre de bateria Mangueira, que hoje encontra-se com a saúde debilitada.

Gilsinho da Portela foi eleito o melhor intérprete do Grupo Especial na visão do júri. Ele lembrou a trajetória que o fez assumir o microfone oficial da Portela e lembrou que conseguiu chegar ao posto por méritos próprios, e não por apadrinhamento. Ele elogiou o trabalho dos sites especializados em Carnaval e revelou ser de suma importância a divulgação do trabalho do sambista.

Encerrando a noite, a Unidos da Tijuca grande vencedora do prêmio de melhor escola do Carnaval 2011, colocou todo mundo para dançar ao som do samba-enredo deste ano, cantado pelo intérprete Bruno Ribas. A apresentação também contou com a comissão de frente bicampeã da Unidos da Tijuca, coreografada por Rodrigo Negri e Priscilla Mota. Além do primeiro casal Marquinhos e Giovanna, também vencedores do Estrela do Carnaval 2011.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×