A história diante dos olhos: os inesquecíveis ensaios técnicos

ensaio_tecnico_antigo
Foto: Henrique Matos

No próximo domingo, dia 15 de janeiro, acaba a ansiosa espera de todos os sambistas pelo retorno dos ensaios técnicos. Nem sempre um bom ensaio técnico significa garantia de sucesso na avenida. Recentemente alguns ensaios marcantes não se refletiram em títulos no Sambódromo. A reportagem do CARNAVALESCO recorda alguns dos grandes ensaios técnicos realizados e convida o nosso internauta a escolher. Para você, qual foi dentre os citados na matéria, o grande ensaio técnico que você viu?

* CLIQUE AQUI E VOTE

Confira os ensaios técnicos inesquecíveis, apontados pelo site CARNAVALESCO:

Salgueiro 2007

Em 2007, o Salgueiro não era nem sombra da escola que está sempre na briga pelo título do Grupo Especial. Depois de um traumático 11º lugar em 2006 a escola olhou para o passado e trouxe um enredo com a sua marca registrada. ‘Candaces’ contava a saga das rainhas africanas. Com um samba antológico escolhido, o Salgueiro pisou na avenida no ensaio técnico endiabrado e deixou aquela sensação de esperança no coração de cada salgueirense. O desfile acabou amargando um 7º lugar indigerível até hoje, mas entrou para a história do carnaval.

Mangueira 2010

Rio de Janeiro, 06 de dezembro de 2009. A data marcava o início da temporada de ensaios técnicos rumo ao Carnaval 2010. A verde e rosa abria com chave de ouro o calendário. Embalada por uma coincidência muito feliz a escola rasgou o chão da Sapucaí com o grande samba daquela safra. No mesmo dia, poucas horas antes, o Flamengo deixava uma fila de 17 anos sem um título brasileiro e conquistava o hexacampeonato brasileiro de futebol. Ivo Meirelles, então presidente, comandava o que inicialmente seria um ensaio técnico comum, mas se transformou na continuação da festa no Maracanã. A escola esquentou com um tradicional grito de guerra da torcida rubro-negra.

Unidos da Tijuca 2011

A tradicional agremiação do Borel finalmente saíra da fila de títulos depois de mais de 70 anos. Paulo Barros, enfim, colocara seu nome na galeria de campeões com um desfile memorável no ano anterior. Logo seria natural que o ensaio da Unidos da Tijuca para o Carnaval 2011 fosse o mais esperado daquela temporada. O que poucos imaginavam é que de maneira impressionante qualquer expectativa estaria superada com um ensaio antológico. A força do canto e da evolução se mostraram tão impactantes que a equipe do CARNAVALESCO, responsável por conferir à Beija-Flor o título de ‘rolo compressor’ do Sambódromo, transferiu a alcunha para a azul e amarela do Borel. O desfile oficial foi para muitos o melhor daquele ano, mas para o júri deu Beija-Flor.

Viradouro 2012

“Canto forte, garra dos componentes, ótima bateria, samba rico melódica e poeticamente, torcida apaixonada. Essas características costumam descrever uma escola do Grupo Especial. De fato, a impressão deixada pela Viradouro em seu ensaio técnico no Sambódromo, para o Carnaval de 2012, foi a de que se tratava de uma escola da elite do carnaval carioca. Pelo menos no que tange os quesitos de ‘chão’, a agremiação de Niterói, caso repita o rendimento no desfile oficial, brigará com força para voltar ao Grupo Especial em 2013”. Foi com essas palavras que a equipe do CARNAVALESCO traçou o que fora o ensaio da Viradouro. Naquela ocasião a escola faria uma homenagem a Nelson Rodrigues e vinha de seu primeiro desfile no Acesso. Na avenida o favoritismo acabou não se confirmando e somente em 2014 o sonhado acesso viria.

Vila Isabel 2012

Algo espiritual envolveu a Unidos de Vila Isabel naquela noite de ensaio técnico de janeiro no Sambódromo. Com um dos enredos mais bem avaliados do ano e um samba que está gravado na história do carnaval, a azul e branca enlouqueceu a Marquês de Sapucaí. Angola é para muitos o maior ensaio técnico já visto na Marquês de Sapucaí. Sem medo de errar no diagnóstico, a equipe do CARNAVALESCO afirmou no título do texto sobre o ensaio palavras como ‘emocionante’ e ‘histórico’. Em recente entrevista concedida à nossa equipe um dos protagonistas daquele ensaio, Evandro Bocão, falou sobre o que ocorreu no Sambódromo: ‘A grande realidade é que a Vila Isabel incorporou outra vez Kizomba, como pediu a letra do samba. Cada um tem sua crença, mas o que aconteceu naquele dia vai além da técnica de uma escola de samba, é algo espiritual e que jamais vai se repetir. Só quem participou daquele momento pode atestar o quanto foi intenso aquele carnaval. Angola está na história’. E, talvez, não se repita mesmo. O título não veio, mas o desfile repetiu o grande ensaio.

Beija-Flor 2013

Não se pode contar a história da Beija-Flor sem um componente natural vital para o ser-vivo: a água. A simples fórmula H2O para os cientistas, para a azul e branca nilopolitana é um componente quase espiritual. Quem não se lembra dos desfiles de 1986 e 2004, quando a escola desbravou verdadeiros dilúvios e deixou a avenida com a alma lavada? A água esteve presente também no ensaio técnico do contestado enredo de 2013 sobre o cavalo mangalarga. A cada gota d’água que caia o pulmão do nilopolitano se enchia de gás. A escola rasgou o chão da Sapucaí e recuperou o posto de rolo compressor.

Império da Tijuca 2013

Esse é o caso clássico em que um brilhante ensaio técnico tenha culminado em um apoteótico desfile. Amargando um longo período no Acesso, o Império da Tijuca trouxe um dos grandes sambas de sua história para o Carnaval 2013. No ensaio técnico a emoção contagiou a todos. Até o experiente colunista do site CARNAVALESCO na época, Luis Carlos Magalhães, hoje presidente da Portela, não conteve as lágrimas ao relatar o grande ensaio da verde e branca da Formiga. No desfile a catarse completa e o retorno da agremiação ao Grupo Especial, 18 anos depois.

Salgueiro 2014

O Salgueiro tem nove títulos na sua história, mas nenhum deles leva consigo o carimbo de ‘campeão do povo’ como o de 1993. Naquele desfile a escola foi carregada na garganta pelo público que cantou com a alma o inesquecível refrão campeão ‘Explode Coração’. Nunca mais uma escola teve um privilégio desses. Os anos se passaram e 21 anos depois aquela sensação esteve de novo presente no ensaio técnico salgueirense para o Carnaval 2014. Ao iniciar seu ensaio técnico com o refrão mais cantado daquele carnaval, a vermelha e branco viu e ouviu as arquibancadas inteiras cantarem o samba e embalarem o melhor ensaio do Salgueiro na avenida. No título da análise do CARNAVALESCO a chancela que faltava: ‘Salgueiro nos braços do povo’.

Grande Rio 2015

A Grande Rio optou para o seu carnaval em 2015 por um enredo leve, sobre as cartas e escolheu um samba que seguia essa característica. Os compositores, todos muito jovens, criaram a alcunha de ‘Samba dos Moleques’ para a obra. Comandados pelo intérprete Emerson Dias e pelo mestre de bateria Thiago Diogo, que estreava na agremiação, a tricolor de Caxias deixou uma excelente impressão após o seu ensaio, o melhor de toda a temporada 2015, ano de grandes sambas na safra. O desfile acabou deixando a desejar e a escola não passou do 3º lugar. Mas no ensaio técnico a Sapucaí foi na ginga.

Portela 2016

Os ensaios técnicos surgiram no auge dos chamados desfiles também técnicos. Para realizarem apresentações quase perfeitas as escolas passaram a usar a avenida oficial de desfiles para ensaiar. Nesse sentido, durante um bom período a Portela fazia apresentações irregulares no Sambódromo nesses ensaios. De maneira que era quase impensável para um portelense um bom ensaio técnico, antes da mudança de gestão da escola. Era. Pois, em 2016, a Portela mostrou ao mundo do carnaval uma técnica impressionante com um dos cantos mais avassaladores já vistos no Sambódromo em um ensaio técnico. O samba carregou a escola e o término do ensaio foi uma ovação completa, que se repetiu no desfile, embora o título tenha escapado por um décimo.

Deixe uma resposta