A verdade sobre o Rei Momo

Todo ano nossa cidade escolhe um Rei Momo e uma Rainha do Carnaval. Muitos se perguntam o significado dessa escolha, a real necessidade de ter ou não rei momo. Essa reflexão me veio a mente após a escolha desse ano onde após o resultado as vaias deram o tom maior na festa. Eu sou da opinião que não deve acabar, porém você observará nas próximas linhas que essa figura perdeu um pouco de charme e importancia que tinha outrora.

Para compreender a figura momesca olhamos um pouco la atrás, na Mitologia. A figura gordinha e gozada era um dos Deuses do Olimpo, considerado filho do sol e da noite, e por sua personalidade festiva e sarcastica de tanto sacanear os outros Deuses foi expulso do Olimpo.Já na era cristã, incluiram a figura do Momo a algumas de suas comemorações que envolviam sexo, bebidas e orgias. Por volta do século 5 a. C, na Grécia, os reis Momos desfilavam nas festas de orgias. Diferente de todos, nos bacanais Romanos, os reis Momos eram sarados e belos, escolhidos no exercito.

Já no Brasil, o palhaço, artista de circo e cantor mineiro Benjamim de Oliveira (enredo da São Clemente em 2009) foi o primeiro Rei Momo escolhido em 1910. Porém esse personagem só passou a ser conhecido como o comandante do carnaval no Rio de Janeiro, em 1933 quando um cronista esportivo do jornal carioca A Noite apresentou aos carnavalescos um boneco de papelão, sugerindo que ele desfilasse pela cidade como o comandante da festa.

Hoje já não é necessário mais ser gordo para participar do concurso – não, esse colunista não tem essa pretensão, caros leitores. Em 2004, a Prefeitura do Rio de Janeiro resolveu não exigir um peso mínimo para quem se candidatasse, dessa forma estimularia a redução de peso, levando em conta outros quesitos como simpatia, carisma e comunicação com o público.

Interessante demais é o filme "A Voz do Carnaval" dirigido por Adhemar Gonzaga e Humberto Mauro da produtora Cinédia. O filme mostra a chegada do Momo no Rio pela Praça Mauá em pleno carnaval onde é levado ao Cassino Beira Mar, onde é coroado. Entediado, Momo foge para curtir o carnaval do Rio Janeiro. Ponto alto do filme é trilha sonora e participação de notáveis como Carmem Miranda cantando "Moleque Indigesto", Oscarito, Ratinho e outros.

Vale muito a pena assistir e reviver momentos passados e compreender que no passado o Momo tinha uma relevancia muito maior do que hoje em dia. Quem sabe os bons tempos não voltam?

Não consegui encontrar o link para compartilhar. Assisti o filme na sala de vídeo do Centro Cultural Banco do Brasil. Para assitir também você deve comprar o Cine Passe e agendar uma data passa ter acesso ao acervo. O Cine-Passe vale por 30 dias.

Comente: