Aesm Rio comemora 10 anos de fundação

 

 

A diretoria da Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro estará realizando na próxima terça-feira, dia 26 de junho, a partir das 19h, na Cidade do Samba, a festa que inicia a temporada de comemorações dos dez anos de fundação da entidade carnavalesca responsável pelos desfiles das agremiações mirins, no Sambódromo carioca. O evento será restrito aos dirigentes das escolas afiliadas, personalidades do carnaval carioca, parceiros comerciais e imprensa. Durante a festividade, dez personalidades do samba e carnaval que ao longo desses dez anos, serão homenageados.


Fundada por iniciativa de dirigentes de sete das dez escolas mirins, que formavam a LIESM- RJ (Liga Independente das Escolas de Samba Mirins), a Associação das Escolas de Samba Mirins, teve como fundador e primeiro presidente, Sérgio Murilo. A nova entidade surgiu a partir de uma dissidência da maioria das agremiações, que se encontravam insatisfeitas com os rumos da administração do carnaval feito para criançada estava tomando. Além de passar a dar as crianças e jovens, a oportunidade de aprenderem e desenvolverem os aprendizados voltados para a indústria do carnaval, com cursos profissionalizantes e oficinas diversas, o cunho pedagógico passou a ser implantado, desde então na folia feita pelos futuros sambistas.


Para Edson Marinho, presidente da AESM-Rio desde 2008, a fundação aconteceu no momento crucial, pois segundo o dirigente, com os rumos que os desfiles estavam tomando, as escolas mirins poderiam ser extintas. “A fundação da entidade foi o divisor de águas na história do samba mirim. Se não tivéssemos tomada na época a iniciativa, as agremiações mirins, fatalmente teriam acabado”, declarou.


A Associação à época de sua fundação, contou com o apoio, colaboração e prestação de serviços de personalidades como o desembargador Ciro Darlan, Manuel Dionísio, Sérgio Murilo e Afonsina Pires, a Dinorah, do Grupo as Gatas, entre outros, teve como fundadoras as agremiações: Mangueira do Amanhã, Aprendizes do Salgueiro, Herdeiros da Vila, Miúda da Cabuçu, Petizes da Penha, Golfinhos da Guanabara e Corações Unidos do Ciep. Atualmente a entidade possui 16 escolas afiliadas, sendo administrada por Edson Marinho, presidente; Maria das Graças, vice-presidente e Joel Toledo, diretor financeiro.


Na última década, tanto as escolas, como os desfiles, vêm obtendo notoriedade e reconhecimento pelo trabalho desenvolvido nas comunidades, envolvendo aproximadamente 40 mil crianças e jovens com idade entre 05 e 18 anos. A Passarela do Samba a cada ano recebe uma média de público de 40 mil pessoas, que lotam as dependências do Sambódromo na Sexta-feira de Carnaval, quando tradicionalmente acontecem os desfiles das escolas mirins