Águia de Ouro canta o centenário de Dorival Caymmi para buscar seu primeiro campeonato

 

 

No ano passado a escola ganhou, mas não levou. Esse ano quer ganhar e levantar o troféu de campeã do carnaval. Mas para isso a azul e branca da Pompeia, Zona Oeste da capital paulista, precisa se concentrar no tempo do desfile. Tudo isso porque, no último carnaval, a escola que homenageava o cantor João Nogueira, estourou o tempo em um minuto, e com a punição acabou perdendo 1,1 pontos e terminando com terceiro lugar. Caso não houvesse sido punida, levaria o carnaval com 0.8 de vantagem sobre a Mocidade Alegre.

Seguindo a linha de enredos culturais dos últimos anos (2012 sobre a Tropicália e 2013 com João Nogueira), o Águia de Ouro leva para a avenida a história do cantor baiano Dorival Caymmi, que se vivo fosse, em 2014 completaria 100 anos. “A velha Bahia apresenta o centenário do poeta cancioneiro Dorival Caymmi” promete contar a vida e a obra de Caymmi, e será assinado por Cláudio Cebola e Delmo de Moraes. Este é o sétimo desfile assinado por Cebola na escola. Ele teve uma passagem entre 2003 e 2005, e desde 2011 está de volta à escola. Já Delmo, faz sua estreia em desfiles da comunidade da Pompeia.

A voz oficial da escola será, pelo décimo quarto ano seguido, de responsabilidade de Serginho do Porto, que cantará um dos sambas considerados mais bonitos do período pré-carnavalesco. A escola tem outro trunfo, sua bateria. A Batucada da Pompeia, de Mestre Juca, foi a única a levar nota dez de todos os jurados no último carnaval.

Esse ano, a escola que obteve a melhor colocação de sua história em 2007, com o quarto lugar, vai em busca de seu primeiro título contando a história de Dorival, que além de cantor era compositor, violonista, pintor e ator. A inspiração vinda dos hábitos e das tradições baianas, a influência da música negra e maneira diferente de compor, espontânea, sensual e rica melodicamente, serão retratadas no desfile do Águia. Suas principais obras também serão lembradas, como Saudade da Bahia, Maracangalha, Samba da Minha Terra, Saudade de Itapuã e Gabriela.

Membros da família de Dorival Caymmi devem participar do desfile da agremiação, dentre eles, os filhos Nana, Dori e Danilo. A escola será a quinta a entrar na avenida, no sábado de carnaval.

Autores do Samba: Vitor Gabriel, Rodolfo Minuetto, Rodrigo Minuetto, Cruz, Bruno Tomegeski, Pelezinho, W. Corrêa e Jr. Silva

Intérprete oficial: Serginho do Porto

Odoyá, a benção Yemanjá

A jangada vai sair pro mar

E navegar nesse oceano de amor

Lindo pôr do sol, cenário de magia

Brilha o horizonte na velha Bahia

Tem batucajé, no abaeté, mistérios no ar

Oh luar clareia, é lua cheia, deixa clarear

Das lágrimas da índia

Uma lagoa se formou, na praia de Itapuã

Na lavagem do Bomfim, bate o tambor

Na saia da baiana tem axé

Tem mironga no congá

Ora yeyeo, Mãe Menininha do Gantois

 

E sobre as ondas do mar, no velho Ita partiu

Sua viola a tocar, a dor que o negro sentiu (ah sentiu)

Poeta, cancioneiro, apaixonado pelo Rio de Janeiro

Nos seus balangandãs mostrou… O que é que a baiana tem

Inspiração, estrela do mar

Eterna paixão, guardou seu lugar

Desceu o morro da mangueira

De verde e rosa, só no surdo de primeira

 

É pura emoção, Caymmi do meu coração

Lá vem Pompeia, é Águia de Ouro

Supercampeã do povo

Comente: