Alegorias e fantasias são destaques do desfile da Unidos de Padre Miguel, que peca em Evolução

 

 

 

A Unidos de Padre Miguel impressionou o público da Sapucaí com aquele que, certamente, foi o melhor conjunto de alegorias e fantasias de todo o desfile da Série A. Com o bom rendimento do samba, a escola poderia ser apontada como uma das postulantes ao acesso ao Grupo Especial, não fosse pelos problemas de Evolução que a escola enfrentou por conta da dificuldade de colocar o último carro na Avenida e as demoradas exibições de Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira. A escola correu muito no final e foi ovacionada na Apoteose ao conseguir cumprir o desfile dentro do prazo de 55 minutos.

* VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DESFILE

Com um enredo sobre os enigmas e mistérios da vida o carnavalesco Edson Pereira conseguiu ironicamente passar a mensagem de forma simples e a leitura do que passou na Avenida se deu de maneira muito mais fácil que muito enredo dito simples. Isso prova que desenvolvimento de enredo tem de ser visto é na Avenida. Destaque para as alegorias que praticamente resumiam seu respectivo setor.

* CONFIRA A ANÁLISE CABINE A CABINE

Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A Comissão de Frente veio representando os personagens no jogo da vida, com seus integrantes fantasiados com uma belíssima fantasia de coringa. Eles jogavam dados para o alto e em certo momento, lado a lado, os dados formavam a palavra Unidos. A coreografia, entretanto, foi muito longa e também não apresentou nenhum momento que impactasse o público. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Vinicius Antunes e Jéssica Ferreira, se apresentou muito bem e com uma fantasia magnífica. Vinicius brindou o público com muito samba no pé, como deve ser um autêntico mestre-sala.

Harmonia

O samba da Unidos de Padre Miguel funcionou muito bem na Avenida, como já havia ocorrido no ensaio técnico, e com mais um autêntico show do intérprete Marquinhos Art'Samba. A escola cantou o tempo todo e poucas alas deixaram a desejar no canto. No último módulo de julgamento, quando a escola precisou correr para não estourar o tempo, o canto se manteve firme, o que é difícil de acontecer.

Evolução e Conjunto

O ponto crítico do surpreendente desfile da Unidos de Padre Miguel foi a Evolução. Mesmo antes do problema com a quarta alegoria as apresentações da Comissão de Frente e do casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira foram muito demoradas. No último módulo, com a informação do problema do carro, a direção segurou a apresentação da comissão ainda mais e ela seguramente chegou perto dos 10 minutos de exibição. O conjunto da escola também acabou prejudicado por conta disso, já que a comissão teve dificuldades em se exibir no último módulo.

Fantasias

O conjunto de fantasias da Vermelho e Branco esteve impecável. Uniu beleza estética, com facilidade de leitura e um certo luxo em algumas alas. Destaque para o setor que misturou homem e máquina. A fantasia da bateria era interessantíssima, com um chapéu que mostrava uma cabeça metade homana, metade máquina. Lembrou em certos momentos o histórico "Criador e Criatura" de Renato Lage, campeão em 1996, com a vizinha Mocidade Independente de Padre Miguel.

Alegorias

As alegorias também mostraram o talento de Edson. De longe o melhor conjunto alegórico que passou na Marquês de Sapucaí nos desfiles da Série A. Vale destacar a segunda alegoria, "Ser ou Não Ser – Máquina da Vida", que exibia uma imensa escultura de um homem metade robô, metade humano. Impactante e com um primoroso trabalho de acabamento. Mas o grande acerto foi a terceira alegoria, "O Que É O Que É? A Grande Charada", que trazia uma menina deitada em uma cama com um semblante que indicava que ela imaginava algo. Atrás dela um televisor. Absolutamente magnífico.

Comente: