Anauê! Parceria de Luciano Costa será o hino do Gaviões da Fiel no Carnaval 2018

gavioes2018Oitava agremiação do Grupo Especial a escolher samba-enredo para o próximo carnaval, o Gaviões da Fiel definiu na madrugada deste sábado, 12, o hino que irá embalar o desfile da Fiel Torcida em 2018. O samba campeão foi da parceria dos compositores Luciano Costa, Bruno Muleke, Totonho, Alex, Fabio Palácio, Neto, Reinaldo Jr e Fadico e será o responsável por contar em forma de canção o tema de desfile. No próximo carnaval, o Gaviões será a quinta escola a desfilar no sábado de carnaval no Sambódromo do Anhembi, com o enredo “Guarus – Na aurora da criação, a profecia Tupi… Prosperidade e paz aos mensageiros de Rudá”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Sidnei França, recém-chegado da Unidos de Vila Maria.

Em entrevista para a Sintonia SASP, Sidnei França comentou um pouco da proposta do enredo, que rendeu uma safra de sambas acima da média nos Gaviões e foi aprovada pelo artista.

– A nossa proposta era desconstruir essa ideia de enredo CEP pelo enredo CEP e fazer com que o nosso compositor entendesse que queríamos contar uma história. Deixei bem claro aos nossos compositores na explanação do enredo que a ideia não era de fazer uma sinopse musicada para concorrer, mas sim de dar liberdade para eles buscarem palavras, termos, se baseando na sinopse, claro, mas com liberdade. O resultado é esse, uma bela safra – disse o carnavalesco.

O primeiro samba a subir ao palco foi o de número 5, de Rogério e parceiros. A obra contou com Juninho Branco (intérprete da Leandro de Itaquera) e Alex Soares (do Acadêmicos do Tucuruvi) dividindo o microfone principal. A obra teve um desempenho satisfatório e contou com o apoio de parte do público, além do bom contingente de torcedores.

Na sequência, foi a vez do samba de número 9, de Luciano Costa e parceiros. Anunciado como compositor vencedor horas antes na disputa de samba da Tom Maior, Celsinho Mody (do Acadêmicos do Tatuapé) foi o intérprete principal da parceria. Com grande contingente de torcedores apoiando o samba, a obra sacudiu a quadra dos Gaviões. Destaque para a força do refrão principal e do “falso refrão” do meio, além da riqueza melódica muito bem explorada pelo time de palco e aprovada pela quadra.

Último samba a se apresentar na noite foi o de número 1, de Osvaldinho da Cuíca e parceiros. Com um time pesado no palco, a parceria contou com uma trinca de intérpretes: Agnaldo Amaral (da Nenê de Vila Matilde), Clóvis Pê (com passagens por Mangueira, Mocidade Alegre e Vila Maria) e Emerson Dias (da Grande Rio). O samba teve um desempenho bastante satisfatório e, assim como o segundo samba, sacudiu a quadra. A obra teve excelente recepção por parte dos segmentos, com alguns membros da velha guarda, por exemplo, se aproximando do palco para entoar o samba.

O anúncio do samba vencedor foi feito pouco depois das 5h30 e recebeu aprovação do público presente. O Gaviões da Fiel tentará no ano de 2018 retomar o caminho das vitórias na elite do carnaval paulistano. A agremiação já conquistou quatro vezes o troféu de campeão do Grupo Especial.