Após 30 anos do histórico desfile na Sapucaí, Nenê faz grande apresentação na final da Beija-Flor

A única escola de samba paulistana a desfilar no solo sagrado do samba, a Marquês de Sapucaí, foi a convidada de honra da Beija-Flor de Nilópolis, na final de samba da última quinta-feira. Apesar de 30 anos do histórico feito da comunidade matildense, de levar seus componentes a atravessar mais de 400 quilômetros para desfilar como escola convidada no carnaval de 1985, a Nenê de Vila Matilde manteve suas raízes e fez uma grande apresentação na quadra da atual campeã do carnaval do Rio de Janeiro.

A escola relembrou seus grandes sambas como o exaltação "Para Sempre Hei de Te Amar", além dos sambas de enredo "O Dia Que o Cacique Rodou a Baiana Ai Ó" (1985), "Narciso Negro" (1997), "Voei, Voei, na Vila Aportei, Onde Me Deram a Coroa de Rei" (2001) e "Um Voo da Águia Como Nunca Se Viu! Também Somos Folclore do Nosso Brasil" (2009). Além do hino do último carnaval, "Moçambique – A Lendária terra do Baobá sagrado!", o samba de 2013, "Da Revolta dos Búzios a atualidade. A Nenê canta a igualdade!", que tem entre seus autores J. Velloso e Cláudio Russo, também foi executado.   

O presidente Rinaldo José de Andrade, o Mantega, contou em entrevista ao site CARNAVALESCO como surgiu o convite para a Águia Guerreira da Zona Leste participar da noite de escolha de samba da Beija-Flor.

– Nós tivemos algumas reuniões com o Anísio e com o Laíla para acertar os detalhes e fiquei muito feliz com o convite. É um grande reconhecimento para a nossa comunidade, por tudo o que já fez pelo carnaval do Brasil, e para o carnaval de São Paulo. É uma grande honra para a gente, voltar após 30 anos, agora na quadra de uma grande campeã Beija-Flor e representar a nossa cidade e nossa Zona Leste.

Voz da Nenê de Vila Matilde desde 2014, e com passagens por escolas como Mangueira, Camisa Verde e Branco e Vai-Vai, Agnaldo Amaral lembrou o grande contingente trazido pela azul e branca da Zona Leste para a noite em Nilópolis.

– É uma grande honra representar o "Lado Leste" aqui no Rio de Janeiro. A gente sabe da importância desse momento e de tudo o que representa historicamente essa relação entre o Rio de Janeiro e a Nenê de Vila Matilde. Foram quatro ônibus vindos de São Paulo trazendo a nossa comunidade, viemos com um pelotão gigante aqui para a Beija-Flor e, sem dúvida, é uma grande satisfação estar presente nesse momento que entra para a história da Nenê.

Já o Mestre Markão, responsável pela direção da Bateria de Bambas, falou sobre a honra de dividir com Mestre Claudemir (o comandante dos ritmistas em 1985 na Sapucaí) o fato de comandar o ritmo da Nenê em apresentações no Rio de Janeiro.

– O ano de 2015 foi o meu primeiro comandando a Bateria de Bambas da Nenê, e sem dúvida, fico muito lisonjeado de já no segundo ano repetir o feito de Mestre Claudemir, que em 1985, trouxe os nossos ritmistas para as terras cariocas. A nossa escola tem uma raiz muito forte aqui no Rio, por todo o envolvimento que o saudoso Seu Nenê teve com figuras importantes do carnaval carioca e a nossa bateria não é diferente. Temos características parecidas com a bateria da Beija-Flor, ou seja, foi o casamento perfeito para a noite da final.

Para encerrar a grande noite da Nenê em Nilópolis, a agremiação apresentou ao público presente o seu samba de enredo para o Carnaval 2016. Com o tema "Nenê apresenta seu musical: Rainha Raia nas Asas do Carnaval", a escola de Vila Matilde cantou seu hino que fará uma homenagem aos 30 anos de carreira da atriz, bailarina e figura marcante da Beija-Flor, Cláudia Raia. A escola será a quinta a desfilar na sexta-feira de carnaval, no Sambódromo do Anhembi.