Arranco aposta na história da dança para voltar o Grupo A

Em seu ano de estreia no Arranco do Engenho de Dentro, o carnavalesco Marco Antonio Salleiros, busca fazer com que a agremiação da Zona Norte volte ao Grupo de Acesso A no Carnaval 2013. Para que isso aconteça, a Azul e Branco concentra suas forças no desenvolvimento do enredo ‘’Nasceu… Balançou, dançou’’, que será desenvolvido pelo artista e teve sinopse entregue aos compositores arranquistas na tarde deste sábado, na quadra da escola.

Quem explica como será desenvolvido o tema é o próprio Marco Antonio Salleiros.

– Vamos começar o nosso desfile mostrando os ritos religiosos. Invocaremos deusa Shiva, a protetora da dança, para começar a contar essa história. Depois vamos para a pré-história, o início de tudo, quando os primatas evocavam os deuses do fogo, do sol, da chuva através da dança. Depois vamos passar pelas civilizações das danças de castelo. As dança de castelo, que acontecia nos castelos medievais, deu origem à dança de salão. Na sequência passaremos pelas chamadas danças de campo. Vamos mostrar o folclore do Brasil. Depois falaremos sobre as danças de rua, o funk, o hip hop e o frevo. E encerraremos fazendo uma grande homenagem ao próprio carnaval, falando das comissões de frente e alguns coreógrafos. Neste momento iremos fazer uma analogia com os grandes espetáculos da Broadway – explicou o artista, que já passou por Boi da Ilha do Governador e Alegria da Zona Sul antes de chegar ao Arranco.

Além de ser o responsável pelo desfile da agremiação do Engenho de Dentro, Marco Antonio também assinará o carnaval da Em Cima da Hora, integrante do Grupo de Acesso C. Ele adiantou que não pedirá aos compositores do Arranco que incluam qualquer palavra específica no samba-enredo. O carnavalesco lembrou que a diretoria da Azul e Branco quer apenas uma obra alegre e que contagie o público da Marquês de Sapucaí.

O último ano em que o Arranco esteve no Grupo de Acesso A foi em 2007, quando ficou em décimo lugar com o enredo ‘’A sinfonia das quatro estações’’, desenvolvido pelo carnavalesco Ilvamar Magalhães. Feliz pela oportunidade, Marco Antonio revelou como tem sentindo o clima na nova casa.

– Estou muito confiante num grande carnaval do Arranco. A escola me recebeu muito bem e aceitaram prontamente o enredo. Quero dar a minha cara à escola. Prezo muito o bom acabamento das fantasias e o requinte na confecção do carnaval. Já começamos a fazer os protótipos e o trabalho iniciou de uma maneira que me agrada muito –  disse Marco Antonio, que além de carnavalesco, também é figurinista de algumas peças teatrais.