Átila Gomes faz balanço de sua gestão no Império Serrano

Após oito meses na presidência do Império Serrano, Átila Gomes, que era da chapa “Tocou reunir”, conversou com o CARNAVALESCO e fez um balanço desse começo de trabalho na escola. Vale ressaltar que a disputa foi acirrada até os últimos votos, já que a diferença para a segunda colocada, a ex-presidente da agremiação, Vera Lúcia, foi de apenas dois votos.

O atual presidente começou como ritmista da escola e depois virou mestre de bateria no ano de 2003, onde permaneceu até 2009. Saiu da sua agremiação de coração para ficar à frente da bateria da Vila Isabel no Carnaval de 2010. Em seguida, resolveu lançar sua candidatura na escola da Serrinha e venceu.

Avaliação dos primeiros meses de mandato:

“O começo junto à minha equipe foi muito satisfatório, vencedor e gratificante. Tudo o que nós pensávamos em sonhos que poderiam ser realizados estamos fazendo durante o dia a dia. Pagar as dívidas anteriores de antigas administrações, limpar o nome do Império, captar recursos que estavam bloqueados, contratar pessoas de quilate, salários em dia dos componentes e contratados. A escola hoje se apresenta em qualquer lugar do Rio de Janeiro devidamente vestida”.

Obras na quadra:

“O Império vai ter condições de receber bem as pessoas que vierem também de carro. O prazo de conclusão da obra é de seis meses. Também conseguimos com a Ambev uma parceria de requinte à escola. Vamos dar um upgrade enorme. O Império vai virar uma casa de shows, onde as pessoas terão orgulho de estar. Sala para imprensa, banheiros espalhados e limpos, os bares requintados e higienizados. O Império será uma escola diferenciada e isso é uma vitória do grupo “Tocou reunir”, que está junto desde o começo".

Despesas anteriores:

“Primeiramente estamos com parceiros empresários de renome, pessoas vencedoras, fizemos um cálculo das dívidas anteriores e contratamos uma equipe de advogados. Ao SPC e SERASA já estamos pagando e, com isso liberado, teremos de novo credibilidade. Todo mês nós separamos um dinheiro para pagar as dívidas, que fica em torno de R$ 90 mil, entre leis trabalhistas e civis. Chegamos a pegar a escola com R$ 1,5 milhão de dívidas”.
 
Um novo Império Serrano:

“Compramos novos chassis com a intenção de aumentar nosso carnaval em pelo menos 50%, até porque estava reduzido desde 2009, quando caímos para o Acesso. Queremos ser impactantes, com fantasias luxuosas. Trabalhamos de uma maneira empresarial, com gestão e transparência, com arrecadação e jogando no lugar certo”.

Comente: