Átila, o Uno

Há uma imensa expectativa no ar, dá para sentir…

Foi bonita a festa, mas já passou.

Entre os quatro candidatos à presidência do Império só tive oportunidade de conhecer dois: Helton e Átila.

Átila somente o que é possível conhecer no pouco que convivemos no universo do samba, embora tenha dele a melhor impressão,  tenha sempre torcido muito por ele, e tenha com ele uma relação de enorme cordialidade.

A Helton  conheço melhor. Temos amigos comuns, conheço e valorizo suas qualidades e a família que tem.

Quando o conheci, ainda muito jovem, estimei  que ele pudesse dar uma grande contribuição à sua escola.

Agora Átila está eleito.

Acho que fiquei tão contente quanto se Elton estivesse lá.

Fiquei contente também quando Átila foi para a Vila. Dolorido, mas contente. Disse isso a ele então.

Feliz por ver nele um trabalhador do samba. Ver seu  enorme talento reconhecido e saber que poderia ter uma vida mais tranqüila financeiramente, dar conforto à sua família.

Fiquei contente quando Átila deixou a Vila.

Feliz porque entendo que a contratação era algo ‘artificial’, que ali não era seu lugar. Feliz por saber que uma escola como a Vila tem na marca forte e personalíssima de sua bateria um patrimônio a preservar.

Para mim, a certeza as escolas, em suas individualidades, e que o samba  estão vivos.

Átila levou para lá sua marca, seu jeito, e viu a rejeição logo no primeiro ano. Lamento por ele, mas fico feliz pela Vila, pelo samba, pelo carnaval na forma que o sinto, que ele é para mim.

Como não é “huno”, e sereníssimo como é, soube sair, soube chegar; soube ir embora e soube voltar. Não mais aquele Átila, um outro agora…

Como os “jogadores de empresários”, os sambistas de algumas escolas quando deixam suas origens se transformam em individualidades. Raramente conseguem  –  ou têm interesse  – em compor um ambiente coletivo: são eles e só; eles e seus empresários.

Átila na Vila era um pouco assim por melhor que tenha sido recebido:  não um sambista da Vila, um sambista… na Vila.

A bateria de uma escola de samba é um daqueles segmentos que não admitem mobilidade, principalmente aquelas escolas mais tradicionais. Não consigo imaginar, entre outras, na Mangueira, na Portela, no Império e no Salgueiro um mestre de bateria vindo de outra escola.

E na Vila foi assim também.

No Império, a saída de Átila abriu portas para Gilmar; hoje nenhum deve nada ao outro, o sangue na veia é o mesmo.

Tenho a curiosidade, a grande, grandíssima curiosidade em saber se alguma vez na vida Átila pensou, se teve a pretensão de dirigir sua escola.

Tomara que não!

Fico torcendo para que ele tenha sido atraído para esse caminho que percorreu;  que tenha  sido assim  traído pelos deuses do carnaval para ‘cair’ de volta em sua escola neste e-xa-to momento eleitoral. E que, aí sim, ungido por esses mesmos deuses tenha   a fortuna, a sabedoria, a sensatez, e a liderança para levar sua escola às vitórias de que ela  tanto se ressente.

Os últimos anos têm sido fartos em lutas internas, especialmente no Império Serrano.  As escolas engatinham ainda em torno da democracia. Os carnavais vitoriosos, infelizmente, costumam levar ao ‘podium’ dirigentes-patronos que passam ao largo de eleições, ainda que ‘eleitos’ por ‘eleições’.

O último carnaval, construído em meio a um clima de imensas dificuldades financeiras e precariedade institucional, com uma dirigente eleita não definitivamente, foi um toque de desesperança para mim.

Aquele Império era um Império apequenado, sem pilha, derrotado. Ali acordei para o fato que apontava: se o presente está ruim, o futuro pode ser pior.

O aviso foi dado. E foi claro. Só não viu quem não quis ou, pior, quem não quer ver. Pior ainda, quem nunca quis, não quer e que jamais  quererá ver.

Átila está eleito.

Que seja  ‘uno’: ele e sua escola. Ele na sua escola.

E que a traga de volta para seu lugar neste cenário que ela própria tanto fez para construir.

Para seus filhos, imperianos que tanto merecem.

E para nós, não imperianos, que precisamos tanto dela.

Nós, que somos imperianos até morrer!

E-mail para contato: lcciata2@hotmail.com