Baianas da Viradouro sonham com retorno ao Grupo Especial

Por Matheus Emanuel

viradouro_desfile_2018_38-3Confiantes! Foi assim que as baianas da Unidos do Viradouro passaram pela Sapucaí, neste sábado. A ala representava um tradicional quadro de Michelangelo, Divina Criação.

Era visível a empolgação no olhar das matriarcas da Vermelha e Branca ainda na armação da escola, entre elas Vilsara, que desfila há mais de 25 anos pela escola.

– É muita emoção, nós viemos para conquistar o título e é isso que mostramos aqui na Marquês de Sapucaí. Nossa roupa é muito leve e confortável para evoluirmos bem em toda a Avenida. Nossa paixão pela Viradouro é imensa, eu não vivo sem essa escola e espero muito que a gente volte para o Especial, lugar de onde a gente nunca deveria ter saído – concluiu a baiana de 53 anos.

Abordando o pensamento renascentista de Michelangelo, as baianas representaram a Divina Criação, contracenando o quadro com o próprio pensamento criativo do autor, que sempre ousou, ao abordar um aspecto divino. A baiana Cleusa, de 73 anos, esteve muito confiante ao falar sobre o desfile da sua escola de coração e diz que espera ser campeã como nunca.

– Mais do que nunca sonho com o Especial, é o lugar de onde a gente nunca deveria ter saído. Ficamos anos no Especial e agora pretendemos voltar ao lugar que nunca deveríamos ter saído. O nosso enredo é maravilhoso e buscamos o título respeitando todas as co-irmãs. Nossa roupa está perfeita para brincarmos e para fazermos nosso papel a fim de levar a nossa escola rumo ao título – concluiu.