Barracões do Especial: Unidos da Tijuca terá elenco de estrelas para homenagear Miguel Falabella

Atenção para a chamada de elenco. Aracy Balabanian, Arlete Sales, Claudia Raia, Marisa Orth, Zezé Polessa, Zezé Barbosa, Stela Miranda, Alessandra Maestrini, Érico Braz. Não fãs de carnaval, esse site não passou a cobrir o dia a dia das celebridades. O site CARNAVALESCO permanece trazendo todas as informações sobre o maior espetáculo da terra. Mas imaginem um espetáculo reunindo todos esses craques da teledramaturgia? Ele vai acontecer na segunda-feira de carnaval no desfile da Unidos da Tijuca. O enredo ‘Um Coração Urbano: Miguel, o arcanjo das artes, saúda o povo e pede passagem’ que vai homenagear o multifacetado Miguel Falabella promoverá uma reunião com todos os grandes amigos e colegas de trabalho do artista.

tijuca01Annik Salmon, uma das integrantes da comissão de carnaval responsável pelo desenvolvimento do desfile, comemora o fato de poder desenvolver um trabalho em que o homenageado foi a principal fonte de pesquisa. Livros, sites na internet, vídeos, tudo pode ser complementado pelas valiosas informações do próprio Miguel passadas à equipe da Unidos da Tijuca.

– O Miguel é bastante presente. Desde a escolha do enredo foi importante a participação dele. Não foi apenas uma pesquisa em acervos, tínhamos ele na nossa frente para nos contar tudo. Essa vivência ao vivo foi muito importante pois torna o desfile mais vivo. Tudo que está no projeto são relatos dele de que aquela determinada passagem é importante. Ele tem ido aos ensaios e com isso ele traz outros artistas para a escola – explicou.

A artista, que vai para seu quarto desfile à frente do desenvolvimento artístico do projeto ao lado de Marcos Paulo e Helcio Paim, revelou que abrir os desfiles na segunda não vai tirar as chances de título da agremiação, que não vence no Grupo Especial desde 2014, quando ainda contava com Paulo Barros.

– A Tijuca vai quebrar esse paradigma de que escola que abre não pode ganhar o carnaval. Eu não tenho nenhuma dúvida de que o nosso desfile nos colocará na disputa do título. A escola está mordida com tudo o que aconteceu (acidente com a alegoria em 2017), nem preciso falar do nosso chão que é um dos mais fortes do Grupo Especial – avisa.

Com relação aos materiais utilizados em fantasias e alegorias, Annik afirma que a comissão não tem o costume de repetir muito, mas ressalta que uma estratégia para baratear os custos nem será vista na avenida, mas resultou em grande economia.

– A gente não costuma repetir material, buscar estéticas diferentes. Tivemos de buscar soluções para fantasias que não vão aparecer. Um exemplo foi o forro de figurinos com TNT, o que deixou o processo de confecção bem mais barato – afirma.

tijuca02Em ano de crise salvam-se as mais organizadas. A Tijuca possui uma das equipes de trabalho mais competentes do carnaval. A gestão do presidente Fernando Horta elevou a escola ao patamar de coadjuvante para protagonista. Mas nem por isso a azul e amarela passou imune pelos problemas que afetaram toda a Cidade do Samba.

– Foi um ano completamente diferente que vivemos. Mas a escola é muito organizada. A equipe é bastante unida e aguerrida. Temos sorte de ter poessoas que gostam de carnaval e da escola. Mesmo que tardiamente conseguimos desenvolver rápido o processo – contou.

Acidente ainda causa dor e escola aboliu sistema hidráulico para 2018

O acidente que destruiu o carnaval tijucano em 2017 e feriu integrantes de uma alegoria ainda causa dor na comissão de carnaval. Embora já tenha ficado comprovado que a responsabilidade pelo acidente não foi da escola, mas de uma empresa contratada para desenvolver os sistemas de elevadores hidráulicos dos carros, a Tijuca aboliu este sistema para o desfile deste ano.

– O acidente foi de responsabilidade da empresa que fez os elevadores hidráulicos. Esse ano como estamos dos lados dos Correios, conseguimos construir as alegorias e elevá-las ao tamanho para o desfile sem a necessidade de usar os hidráulicos. Através de talhas e sistemas de cabos de aço. Os carros serão montados mais cedo na Avenida. O elevador é o sistema rápido. Isso não nos levou a fazer carros pequenos por causa disso. Não foi falha de estrutura que causou o acidente – detalha Annik.

Conheça o desfile da Tijuca

tijuca_ensaio1801_-72– Setor 1: “O Miguel criança recebeu um livro, ‘O pequeno príncipe’. Ele se identificou muito com o personagem. Ele se imagina preso ali na Ilha do Governador, como o personagem do livro. Os seres do mar da praia onde ele morava eram súditos dele. A veia de artista estava ali brotando”.

– Setor 2: “Ele no teatro no tablado de Maria Clara Machado onde Miguel teve a sua formação”.

– Setor 3: “O Miguel escritor. Abordamos a importância da escrita em sua vida, foi colunista do Jornal O Globo, escreveu várias novelas e peças de teatro muito importantes”.

– Setor 4: “A importância do Falabella para a TV brasileira. Também como apresentador, ator, diretor, roteirista. As novelas e os programas que ele criou estarão neste setor”.

– Setor 5: “Os musicais famosos que ele trouxe da Broadway, com a ajuda dele na escolha. Através de relatos do próprio fizemos essa seleção com o que foi mais importante na carreira dele”.

– Setor 6: “Encerramos o carnaval com o que não poderia faltar. O Miguel folião e amante do carnaval. Já foi carnavalesco do Império da Tijuca. Teremos ele um brincante de carnaval. Ele ia assistir os carnavais das grandes sociedades. O carnaval também o formou como mega artista que é hoje.”