Bate-Papo com casal de mestre-sala e porta-bandeira da Grande Rio, Luiz Felipe e Verônica

 

 

Eles trabalham com garra e afinco em busca das notas máximas. Em seu segundo ano de parceria e, no segundo carnaval defendendo as cores da Grande Rio, Luis Felipe e Verônica Lima se preparam com intensidade para ajudar a tricolor de Caxias a conquista o tão sonhado título da campeã do Grupo Especial. Em conversa com o site CARNAVALESCO, o casal mostrou que se prepara para o grande desafio de garantir a pontuação máxima no desfile oficial.

Qual é a importância de ensaiar no Sambódromo?

Luis Felipe: Pra gente, é maravilhoso fazer esse ensaio técnico e poder e sentir o clima do desfile oficial. Podemos acertar os detalhes e com a vibração do Setor 1 já entramos no esquema de como será o desfile.

Como está o ritmo de ensaios durante a semana?

Verônica Lima: Estamos ensaiando seis dias por semana, cerca de duas horas por dia. Isso apenas para treinar a coreografia do desfile. Além dessa preparação estamos caprichando na preparação física para aguentar o ritmo puxado na Avenida.

Desfilar atrás da comissão de frente ou na frente da bateria?

Verônica Lima: Acho que tanta faz um como o outro espaço. Importante mesmo é estar defendendo o pavilhão da escola e entender o que a direção da escola determinar. Estamos aqui para somar.

O que é mais importante no quesito: a dança, a bandeira no alto ou a forma de cortejar do mestre-sala?

Luis Felipe: Tudo dentro do quesito é complicado e tudo dentro do quesito é importante. Mas o negócio é ter seriedade. É ensaiar mais e mais. Nós gostamos daquilo que é difícil. Quanto mais difícil for, mas nos aguça.

Verônica Lima: É complicado dizer o que é mais complicado. No dia do desfile oficial é muita emoção. O que complica um pouco, em certas ocasiões, é o detalhe criativo da fantasia. Às vezes a fantasia atrapalha a nossa evolução

Comente: