Beija-Flor faz junção dos sambas das parcerias de Samir Trindade e J. Velloso

Uma grande final de samba-enredo. Na noite desta quinta-feira, a Beija-Flor realizou sua final, em Nilópolis, e mesmo com a quadra improvisada, após o teto cair, o evento contou com excelente público. O resultado ficou igual para todas parcerias e Laíla, diretor de carnaval, decidiu juntar os finalistas. Com isso, a Beija-Flor terá o seu samba assinado pelos compositores J. Velloso, Adilson China, Carlinhos do Detran, Silvio Romai, Hugo Leal, Gilberto Oliveira, Samir Trindade, Serginho Aguiar, Jr Beija-Flor, Ricardo Lucena, Thiago Alves e Romulo Presidente.

* Clique aqui e veja a letra do samba-enredo da Beija-Flor para 2012

Grande parte do samba é da parceria de J. Velloso. A obra de Samir Trindade está presente no refrão principal e nos cinco versos iniciais da primeira parte do samba. A parte que homenageava o carnavalesco Joãosinho Trinta, que dizia "Valeu, João" acabou cortada da obra.

* Clique aqui e veja a galeria de fotos da final

Na hora de anunciar o resultado, Laíla pediu que a comunidade confiasse nele e que era a quinta junção que ele fazia na Beija-Flor e sempre deu certo. A bateria não fez bossas para os finalistas, segundo mestre Rodney, os sambas eram as estrelas da noite.

Como no Carnaval de 2011, Neguinho da Beija-Flor vai cantar um samba do seu filho na Avenida, já que JR. está na parceria de Samir Trindade. O cantor conversou com o site CARNAVALESCO sobre a final: – De todos esses anos que estou na Beija-Flor, a final desse ano foi a mais emocionante. Tivemos dois grandes sambas.

O coreógrafo Fabio de Mello esteve presente na final e disse que já teve uma reunião com a comissão de carnaval para tratar da comissão de frente do Carnaval 2012. – Era um sonho e namoro antigo.

O diretor de carnaval da Deusa da Passarela explicou o que pretendeu com a junção das duas obras.

– Eu percebi que em algumas partes os dois sambas tinham uma queda melódica. E como ambos são muito bons e se destacaram desde o início da disputa, resolvemos juntá-los. Na minha concepção ficou muito bom. Tenho experiência em fazer junções, fiz no Salgueiro, na Unidos da Tijuca e esta é a sexta vez que faço na Beija-Flor. Vamos agora trabalhar para que ele renda tudo aquilo que possa na Avenida – concluiu Laíla, que confessou que a junção havia sido feita durante a semana.

Mesmo com o alto nível dos dois sambas, era previsível o desfecho da noite, já que logo após a divulgação do resultado alguns prospectos com a letra do samba foram distribuídos. J. Veloso, presidente da ala dos compositores e um dos autores do samba 13, falou sobre a hipótese de junção antes mesmo da final.

– Confio no meu samba, mas não posso querer ser maior que a minha escola. A Beija-Flor é o principal objetivo disso tudo aqui e o nosso grande mestre Laíla sabe o que faz. Vamos acatar a decisão e somar forças para que a escola tenha sucesso mais uma vez.

Já Jr. Beija-Flor, que vence pelo segundo ano consecutivo ao lado dos outros autores do samba 75, concordou. Ele também revelou que o seu pai, Neguinho da Beija-Flor, interfere muito pouco durante a disputa.

– Todo mundo me pergunta se ele se mete, se dá palpite, mas não. Agora eu estou uma pilha de nervos e ele está na sala da bateria jogando baralho. Essa final é diferente de todas as outras. O samba 13 é um grande samba, assim como o nosso e nós temos ciência que a junção pode acabar acontecendo, que seja o melhor para a escola – disse Jr, assim que chegou à quadra da escola.

O primeiro samba a subir no palco foi exatamente o 75. De melodia envolvente e letra poética, a obra levantou o público presente na quadra da Beija-Flor. Apesar disso, os segmentos da escola não cantaram de forma efusiva o samba. O que acabou acontecendo com a obra de número 13, que teve um empolgado Laíla cantando o samba e demonstrando bastante emoção, principalmente no refrão do meio. Destaque para a interpretação genial de Wander Pires. Parece que o samba foi feito exatamente para o seu estilo de canto.

Ficou nítido durante a divulgação do resultado que o público esperava por uma das obras como grande vencedora da noite, já que não houve grande vibração na hora que Laíla anunciou a junção. Os próprios compositores não demonstraram reação empolgada, mas cantaram o samba e pareceram conformados com a opção da escola.

A escola de Nilópolis iniciará a gravação de sua faixa no CD oficial do Grupo Especial 2012 na manhã deste sábado, na Cidade do Samba. A Azul e Branco defenderá o título com enredo que homenageará São Luis, capital maranhense.

Responda: o que você achou do resultado?