Beija-Flor reduz número de alas comerciais

Famosa pelo maciço canto que a sua comunidade apresenta na Marquês de Sapucaí, a Beija-Flor de Nilópolis tinha uma peculiaridade até o último carnaval. Na era em que as agremiações destinam cada vez menos espaço para as alas comerciais, a Azul e Branco contava com 17 delas em seu plano de desfile. Um número considerado alto se comparado às outras escolas do Grupo Especial. Mas se até o último desfile isso não atrapalhou o canto da escola, em 2012 atrapalhará ainda menos, já que a diretoria da Beija-Flor decidiu que apenas oito alas comerciais permanecem na escola no desfile que falará sobre a cidade de São Luis do Maranhão.

Um dos principais responsáveis pela força que o 'chão' da Beija-Flor tem atualmente, Laíla, diretor de carnaval da escola, falou sobre a mudança.

– Resolvemos mudar isso para ganhar ainda mais no canto da escola. Serão oito alas com cerca de cem pessoas em cada uma delas. O estilo das nossas fantasias também continuará o mesmo do último carnaval: nada de trombolho, muita leveza para o componente evoluir de maneira espontânea. Vamos vestir três mil componentes.

Depois de optar pela fusão entre os dois sambas que mais se destacaram na disputa da Beija-Flor, Laíla ressalta que nos ensaios de quadra já é possível perceber a evolução da obra no coro dos componentes nilopolitanos.
 
– No primeiro dia de ensaio já foi fantástico e os que vieram em seguida foram um estouro. A escola já entendeu a junção e isso pra mim é muito importante. Eu trabalho muito o canto. Se vejo algo errado eu paro para consertar, mas estou muito feliz. A escola está vivendo um grande momento, não é um momento de egoísmo, mas sim de muito companheirismo e foco no desenvolvimento do samba. No dia do resultado, as pessoas ficaram um pouco assustadas por não saberem o caminho, mas no primeiro ensaio eu fiquei meia hora só ensaiando o canto e quando 'larguei' para a quadra a resposta já foi muito positiva. Temos um grande samba. Existem outros cinco sambas que são muito bons, mas vou brigar para ganhar – prometeu.

Outra característica que será mantida no desfile da escola é o andamento da bateria, que ficou um pouco mais rápido a partir do desfile de 2011. Laíla confirmou que já tem ensaiado em 145 batidas por minuto e disse que não abrirá mão disso para fazer a escola evoluir com perfeição em 2012. O andamento, aliás, já pode ser percebido na gravação da faixa da escola no CD oficial do Carnaval 2012, trabalho que o diretor de carnaval já produz há alguns anos. Ele falou sobre o resultado final do álbum.
 
– Mudamos um pouco o rumo esse ano. Usamos mais as harmonias de corda e a tendência é fazer isso cada vez mais. Fiquei contente. Acabou o 'disco de bateria'. Ultimamente era isso que estava acontecendo, mas agora conseguimos equilibrar o canto, as cordas e o ritmo. O trabalho está aprovado.

A atual campeã do carnaval tentará o décimo terceiro título de sua história com o enredo 'São Luis – o poema encantado do Maranhão', que será desenvolvido pela comissão de carnaval composta com Fransérgio, Ubiratan Silva, Victor Santos, André Cezari e Bianca Behrands. A escola será a sexta a desfilar no domingo de carnaval.

Comente