Beija-Flor vai levar três mil pessoas para ensaio técnico no Sambódromo

Agora é a vera! O carnaval entra no ritmo dos ensaios técnicos. Neste domingo, quem fará as honras de abrir um Sambódromo ainda em finalização de obras é a Beija-Flor de Nilópolis, atual campeã do carnaval carioca. A Deusa da Passarela, ou o Rolo Compressor do Sambódromo, esquentará os tamborins a partir das 20h30. O site CARNAVALESCO terá duas opções para você curtir o ensaio: a partir das 19h, a Rádio Arquibancada, nossa nova parceira, e a retransmissão da cobertura da Rádio Tupi, que começa às 20h30. Além disso, você pode acompanhar pelo nosso Twitter. É só seguir o @tercarnavalesco.

 

O diretor de carnaval da escola nilopolitana, Laíla, conversou com o CARNAVALESCO sobre a quantidade de componentes e também sobre a possibilidade de homenagear  Joãosinho Trinta já neste primeiro ensaio:

– Queremos levar até 3 mil componentes para Avenida já neste domingo. Por isso mesmo não levaremos nenhum tipo de tripé. Queremos evoluir a comunidade, treinar sério, como se estivéssemos na quadra. Não faremos homenagem nesse momento, isso está guardado para o carnaval, o que irá emocionar a todos os presentes – finaliza.

Ensaios Técnicos completam 10 anos

A grande festa que antecede o carnaval está completando 10 anos em 2012. Os ensaios técnicos viraram roteiro para os foliões e também para os turistas que visitam a cidade nessa época do ano. O inventor dessa grande ideia, que hoje ajuda as escolas em suas preparações para o carnaval – pois o treino é feito no campo de espetáculo – é atualmente o diretor de carnaval da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Elmo José dos Santos. O dirigente teve essa visão na época que ainda presidia a Mangueira em 2002.

O próprio diretor falou ao CARNAVALESCO como começou essa ideia e como ela se firmou, virando roteiro das escolas:

– Eu era presidente da Mangueira e a pista ficava obsoleta. Então, fui conversar com o diretor de carnaval da Liesa na época, Valter Lopes, e pedi para fazer um ensaio com a escola na Avenida. No primeiro momento, ele ficou meio sem saber o que fazer, mas no final liberou para realizar o ensaio. Naquela época levei 1500 pessoas. Fizemos uma avaliação na escola e todos gostaram. Passou um tempo e pedi outra data. Dessa vez, levei componentes e torcida que coloquei no setor 1 e todos foram a loucura. Em seguida, vendo que a ideia tinha dado certo, chamei o Nésio Nascimento, presidente da Tradição, e falei que tinha que levar pelo menos cinco ônibus de torcida, Ele topou. As outras escolas perceberam e começaram a se empolgar com essa ideia. Depois, saí da presidência e assumi o cargo de diretor de carnaval da Liesa, e aí no ano seguinte coloquei Mangueira e Salgueiro, no mesmo dia. O Sambódromo teve 15 mil pessoas. O presidente da Liesa na época era o Capitão Guimarães me chamou e resolvemos implementar os ensaios técnicos as escolas – explica.

Comente: