Bicampeão, Paulo Barros diz que enredo do iogurte é diferente, fora do lugar comum

O clima dentro da quadra da Unidos da Tijuca era ótimo. O que valia mesmo era gritar “ É campeão”. E esse grito se intensificou ainda mais com a chegada do carnavalesco da agremiação, Paulo Barros. Ele foi ao camarote principal da escola, pegou o troféu e ergueu. Pronto! Era a pessoa que faltava. Torcedores explodiram e reverenciavam o carnavalesco.

Paulo conversou com o CARNAVALESCO e falou sobre o enredo que foi uma homenagem a Gonzagão:

– Foi igual a todos os outros. Eu já tive a oportunidade de fazer Portinari. Qualquer enredo pode ser enredo. Eu costumo dizer o seguinte, quando o enredo é escolhido, as pessoas já julgam. Vou te dar uma bomba, o enredo que eu tive vontade de fazer era o do iogurte. Eu adoraria ter feito, porque para mim ele é diferenciado. Não é lugar comum. Agora fazer Luiz Gonzaga foi bom porque eu achei um caminho diferenciado para falar dele.

Questionado se esse título serviu para calar alguns críticos, o carnavalesco foi direto:

– Isso não serve para nada, eu quero que eles continuem falando, mas falem muito. Porque aí um dia como esse de hoje serve para isso, desmentir tudo que eles falam.

Presidente da Tijuca diz que Paulo Barros é um gênio

Após a apuração do Grupo Especial, o presidente da Unidos da Tijuca ressaltou a competência do carnavalesco Paulo Barros para a conquista do tricampeonato da escola.

– O Paulo Barros é um gênio. Não tem essa história que ele não sabe fazer enredo homenagem – afirmou Horta.

Segundo o presidente tijucano, a conquista é o resultado da profissionalização da escola.

– A Unidos da Tijuca é uma escola-empresa. A empresa que faz essa vitrine que é a Tijuca.
 

Comente: