Camarote do King reúne pessoas do Brasil inteiro para os desfiles do Grupo Especial

Por Philipe Rabelo

Não é apenas o tempo de desfile que aumenta para as escolas que desfilam no domingo e na segunda-feira de carnaval. Além das agremiações passarem mais alegorias, componentes e até mais luxuosas do que na Série A, elas também atraem um número maior de torcedores. No Camarote do King não foi diferente, o espaço simbolizou a verdadeira mistura do Brasil. Torcedores de vários lugares estavam animados para assistir as escolas, mas a unanimidade esperava pela passagem da Estação Primeira de Mangueira.

whatsapp-image-2018-02-12-at-17-07-26O casal gaúcho Cristiano Romariz e Camilla Dalla Riva são mangueirenses e moram em Rondônia. Eles realizaram o sonho de desfilar pela escola na ala “Mangueira: ‘Ao Gosto’ da antiga Avenida”. – Não dá pra explicar a emoção de desfilar, só ali na hora que a gente entende o que é entrar na Marquês de Sapucaí – explicou Cristiano. Camilla contou que a experiência do camarote foi um diferencial. – Desfilar pela Mangueira foi um sonho realizado e o camarote ajudou muito nisso. Todo o conforto, segurança, alimentação, tudo estava perfeito, uma limpeza incrível – contou. A expectativa, segundo eles, além de voltar nas campeãs é desfilar nos próximos anos.

Um outro casal veio de São Luís, no Maranhão. Daniel é carioca e salgueirense e Bruna é maranhense e torcedora da Mangueira. Eles estiveram no King no ano anterior, quando ainda moravam no Rio. A mudança para o Maranhão tem pouco mais de um ano e eles contam que lá as festas juninas são o evento da cidade, mas reforçaram que não pretendem abrir mão de passar o carnaval no Rio, dentro do Camarote King. – A gente ama carnaval, estar na Sapucaí é uma alegria, ainda mais com uma estrutura dessas. Tudo muito bem servido e organizado. Um espetáculo à parte – explicou Daniel.

whatsapp-image-2018-02-12-at-17-07-27-2

whatsapp-image-2018-02-12-at-17-07-27-1Também teve gente que veio de São Paulo para conhecer o carnaval carioca. Foi o caso do casal Anelize e Maicon Bertolozzo. Eles vieram assistir a Mangueira e falaram que são apaixonados por samba. – É a nossa primeira experiência com desfiles, mas parece que será a primeira de muitas. A gente ama samba, mas não desfilamos… ainda – declarou Maicon.

Kelen Ibarra torce para Mocidade e Marcelo Teixeira é salgueirense. Eles são casados e moram no Rio Grande do Sul. Costumam vir ao Rio pelo menos três vezes por ano, além de serem muito agitados, a programação deles no carnaval é intensa. Há um acordo entre eles em que Marcelo leva Kelen para assistir a Mocidade e ela desfila com ele no Salgueiro. Eles estiveram no Sambódromo no ano passado em outro camarote e não aprovaram a experiência, mas resolveram dar mais uma chance e se surpreenderam. – Nem se compara, aqui a gente tem tudo e o tempo todo. Estão de parabéns – disse Marcelo. Kelen estava se sentindo bem à vontade. – Eu já tô até me sentindo em casa com esses narguilés disponíveis aqui. Lá no Sul eu costumo apreciar, ele não gosta. Acho que o que eu mais gostei foi dessa boate, sempre com show bom. O Chacal do Sax é um fenômeno, ninguém faz o que ele faz – contou.

whatsapp-image-2018-02-12-at-17-07-27

Falando em boate, as atrações do King lotaram a pista de dança neste domingo de carnaval. Além das apresentações fixas do Grupo Identidade, Chacal do Sax e DJ Roger Lyra. Os Shows do Xandy de Pilares e O Show Tem Que Continuar deram lotação máxima.