Carnaval nas redes sociais é tema de debate no 2º Congresso Nacional do Samba

No final da manhã deste sábado, foi realizado no Museu da República, no Catete, no Rio de Janeiro, o primeiro dia do 2º Congresso Nacional do Samba. A primeira mesa, com o tema "Samba, Carnaval e Redes Sociais", mediada pelo professor da UNIRIO, Jair Martins de Miranda, recebeu o jornalista e responsável pelo site CARNAVALESCO, Alberto João, a produtora da TV Globo de São Paulo, Fernanda dos Santos, o jornalista Augusto Cezar Faria, o vice-presidente do Sebastiana, Jorge Sapia, e o jornalista e assessor da Liesa, Vicente Datolli.

– Tem muita gente falando sobre o que não sabe nas redes sociais. Me incomoda a irresponsabilidade da forma com que falam sobre o carnaval. É importante ter respeito com as pessoas. A minha preocupação é a falta de preparo. É importante a liberdade de expressão, mas sem responsabilidade só vai fazer com que a gente caia em descrédito – disse Vicente Datolli, sobre o uso das redes sociais no carnaval.

De opinião contrária a de Vicente, Alberto João, do site CARNAVALESCO, ressaltou a importância dessas novas mídias, para discussões sobre o maior espetáculo da Terra e ainda sugeriu que a Liesa comece a usar essas ferramentas para maior aproximação com os foliões.

– As pessoas vem discutindo carnaval no Facebook, inclusive com humor e isso é divertido. Eles criticam o carnaval através de fotos, texto e é muito interessante. O carnaval é uma grande rede social, pelo fato de estarmos nos encontrando sempre. Vejo o Facebook muito para discussão, acho até que a Liga precisa ter um. Isso é importante para aproximar os amantes do carnaval – disse o jornalista.

A produtora da TV Globo de São Paulo, Fernanda dos Santos, foi além do assunto virtual, já que está realizando uma pesquisa com escolas de samba do carnaval paulista e disse que as redes sociais também são offline e que as agremiações cada vez mais tem que fortalecê-las, com suas comunidades, para terem bons resultados em seus desfiles.

– Essa relação, quanto mais forte a interligação das escolas com seus componentes e a identidade que ela consegue captar neles, melhor o resultado final – declarou Fernanda.

O jornalista Augusto Cezar Faria, apresentou o projeto de um infográfico dos 80 anos de desfile, aonde o público pode ver e colaborar com fatos e curiosidades da história do carnaval ao longo dos anos.

Após as apresentações, foi aberto um debate junto ao público presente, aonde a questão dos comentários na internet, que para uns é visto como feedback do trabalho e para outros já não é tão bem visto, foi levantada, assim como a profissionalização das pessoas que trabalham no carnaval, para que possa ter um melhor planejamento e rendimento justo com os profissionais.

Comente: