CARNAVALESCO conversa com Laíla: ‘Vamos deixar o chão quente para Tijuca’

 

 

A dois dias do ensaio técnico da Beija-Flor de Nilópolis na Marquês de Sapuací, o site CARNAVALESCO conversou com Laíla, diretor de carnaval da Azul e Branco. Seguindo o seu estilo de não se esquivar de nenhuma pergunta, ele falou sobre a expectativa para o próximo domingo, quando a Deusa da Passarela será a primeira agremiação a se apresentar.

CARNAVALESCO: Como está sentindo a expectativa da sua comunidade para esse ensaio de domingo?

Laíla: "Temos uma comunidade aguerrida, alegre e unida. A alegria reina entre nós e graças ao meu bom Deus as laranjas podres já se foram. Não tenho dúvida que não vai faltar muita vontade para eles. Estão com a ideia de realizar um grande ensaio e creio que a tendência é essa. No ano passado, o nosso ensaio foi considerado pela imprensa o melhor da temporada, mas infelizmente não tivemos o mesmo rendimento no desfile. Houve um problema na entrada daquela alegoria e não me avisaram o que estava acontecendo. A ordem para a comunidade é a seguinte, temos que fazer um ensaio melhor de quem já passou e no mínimo igualar com as melhores ao final da temporada, não queremos ficar abaixo".

CARNAVALESCO: Os ensaios de quadra da Beija-Flor são incomparáveis com as outras agremiação na duração e na participação da comunidade. Ás vezes os ensaios chegam a quatro horas de duração com o mesmo samba, mas um componente de ala comum só passa na Avenida durante o desfile em, no máximo, 30 minutos. É por isso que a Beija-Flor sempre tem um grande rendimento de canto e garra dos componentes?

Laíla: "É exatamente isso. Trinta minutos é uma base das alas que desfilam do primeiro ao quarto setor, porque tem as apresentações do casal e da comissão de frente. Este ano, como vamos fazê-las em conjunto, vou ganhar cerca de 12 minutos a mais. O Marcelo Misailidis(coreógrafo da comissão de frente) conseguiu executar exatamente aquilo que queríamos e já vamos colocar isso em prática no ensaio técnico. É óbvio que não será a coreografia oficial, mas a Selminha e o Claudinho já se apresentarão com a comissão de frente".

CARNAVALESCO: Nos últimos carnavais, Unidos da Tijuca e Beija-Flor disputaram o título com muito equilíbrio em alguns anos. Ambas têm mostrado ótimo rendimento de chão também. Isso motiva mais o componente da Beija-Flor para o domingo, já que logo depois a Azul e Amarelo ensaia?
Laíla: "Lógico que sim. Sabemos que a Tijuca é uma grande escola e tem brigado pelo título. Hoje quase não erra e é uma forte concorrente. Já falei para a minha comunidade que temos que deixar o chão quente para eles, em brasa mesmo (risos), mas isso não é uma rivalidade agressiva. É uma disputa sadia, uma competição. Cada um quer fazer o seu melhor e vamos cumprir a nossa parte. Tenho certeza que será um grande espetáculo para quem for ao Sambódromo no domingo".

CARNAVALESCO: Qual será o contingente que a Beija-Flor irá levar?
Laíla: "Teremos três mil componentes".

CARNAVALESCO: Na sua opinião, qual será o grande destaque desse ensaio para a mídia e o público do Sambódromo?

Laíla: "Peço que olhem com carinho a minha bateria. Graças a Deus tenho do dom de perceber algumas coisas antes que todo mundo. Quando coloquei esses garotos na bateria, disseram que eu estava maluco, mas apenas dei oportunidade a quem sempre fez a bateria da Beija-Flor. O Plínio é mais experiente e o Rodney é sensacional. Era ele quem fazia a afinação da bateria da Beija-Flor, entende muito disso. Hoje tenho uma bateria jovem e talentosa, quase toda de Nilópolis. Acabou esse negócio de a Beija-Flor pedir ritmista emprestado pra outras escolas. Tenho uma garotada muito boa no comando junto com o Rodney e o Plínio também. Acho que a bateria será o ponto alto. Se a bateria estiver num dia feliz, haverá um crescimento natural do restante da escola".

Comente: