Carnavalesco da União da Ilha faz avaliação do desfile


O carnavalesco da União da Ilha, Alex de Souza, respondeu as perguntas bem tenso por conta do desfile e encantado com cada alegoria que passava na avenida. Mas era compreensível, pois a escola veio falando de Londres e ele queria liga-lo com o beirro insulano.

– A reação do publico foi fantástica, principalmente com a comissão de frente. Que foi simples, mas ao mesmo tempo pomposa. Na comissão de frente, fizemos uma homenagem a carnavalesca Maria Augusta. É importante fazer homenagens enquanto as pessoas ainda são vivas, muito se deve a Maria Augusta. – reconhece Alex, que trouze Maria Augusta como a Rainha Elizabeth II, que trabalhou para mostrar o melhor da União – Tentei trazer, resgatar a essência da União, a caracteristica dela, que é a leveza e o humor.

O carnavalesco sabe que a escola pode não ganhar o campeonato de 2012, mas reconhece que a tricolor da Ilha  mexe com as emoções dos foliões.

– A escola não ganhou ainda, mas sempre dá uma beliscada. Além do mais, ela é querida por todos, é a segunda escola no coração de todos. Ano passado já tinha sido maravilhoso, mesmo não concorrendo e esse ano foi melhor ainda.
O insulano é fanatico seja no acesso ou no especial, pois a ilha tem algo a mais. – Alex elogia os moradores da Ilha do Governador.

Alex fala que está tranquilo, com o sentimento de trabalho concluído, mesmo com pouco tempo para produzir as fantasias e carros e ainda alfineta desfiles robotizados.
– Já a questao da União conseguir o primeiro lugar ou não, fica para o jurado. O importante é fazer meu trabalho e acho que consegui fazer com que o público entendesse o enredo. É para entender o enredo e se divertir, chega de coisa cisuda. A Ilha é uma adolescente, então tem que brincar. Foi muito difícil fazer o desfile, já que conseguimos o barracao só em dezembro.

E Alex dá uma explicação ao grande número de componentes que passaram mal, após o desfile, já na dispersão.

– Em relação ao número alto de pessoas passando mal,  pode ser porque as fantasias eram fechadas, mas porque queríamos passar essa impressão de pomposidade. O tema pedia isso e espero não ter prejudicado a escola.