CARNAVALESCO em San Luis: Fantasias de agremia��o argentina s�o feitas pelos pr�prios Puntan

A principal novidade da terceira edição do carnaval do Rio em San Luís, Argentina, é a formação de uma escola de samba formada, em sua grande maioria, por componentes argentinos. Mas e a criação do desfile? Até mesmo a confecção das fantasias da agremiação argentina está sendo feita por mãos nativas. Cerca de 50 aderecistas de San Luís recebem auxílio de aderecistas brasileiros desde o mês de outubro. A supervisora do grupo, Renata Luiza, fala sobre o ensinamento passado a nossas hermanas.

– O processo de criação é igual ao utilizado no carnaval carioca. O Milton Cunha e o Jorge Caribé desenham, nós fazemos os protótipos, calculamos pelo número de fantasias que a ala tem e começamos a reprodução. A maior dificuldade que encontramos é encontrar material na Argentina. Aqui não há, temos que mandar vir do Brasil, mas algumas coisas não podem vir no avião, como cola fria e ferro, aí precisamos dar um jeito aqui.

Mesmo assim, Renata crê que, em breve, o mercado de artigos carnavalescos vá se expandir em San Luís e até mesmo em Buenos Aires, distante 700 quilômetros da província que recebe o carnaval carioca. Já para os alunos, ela é só elogios. Renata também nos conta um fato curioso.

– As pessoas daqui são muito conservadoras, isso influencia até na hora que o Caribé e o Milton vão desenhar as fantasias, elas são mais tapadas, mostram menos o corpo, mas aos poucos a coisa vai mudando. Teve até um caso em que uma aluna daqui da aula de adereços disse que um biquini de passista estava muito grande(risos). São pessoas muito boas, gentis e educadas. Algumas tem mais facilidade, pegam o serviço logo, já outras tem mais dificuldades, mas todas são bastante esforçadas.

Desde outubro, Renata Luiza e outros brasileiros passam 12 dias de um período de duas semanas em San Luis. Todos as oficinas, tanto de adereços, percussão e dança são custeadas pelo Governo da província de San Luis.
 

Comente: