Casal da Imperatriz faz avaliação do último carnaval e confirma que segue na escola em 2015

 

 

O ano de 2014 foi especial para o casal de mestre-sala e porta-bandeira da Imperatriz Leopoldinense, Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro. Os defensores do pavilhão verde, branco comentaram o carnaval de 2014 da dupla. Em entrevista concedida durante a entrega do Prêmio Sambanet, que o casal conquistou como “Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira” do Grupo Especial, Rafaela fez uma avaliação positiva do último carnaval.

– Esse ano foi muito especial pra gente. Nós conseguimos alcançar as notas tão sonhadas e as premiações vieram. Isso é fruto de muito ensaio e dedicação. Eu estou muito feliz com tudo o que vem acontecendo.

A porta-bandeira não deixou de tecer elogios ao seu parceiro de dança, e agradeceu a todos que contribuíram e fizeram parte do carnaval do casal.

– Não posso deixar de agradecer o meu mestre-sala, que se não fosse ele, nada disso estaria acontecendo. Agradeço também a nossa coreógrafa e, principalmente, ao grande casal Chiquinho e Maria Helena, que foram fundamentais para que esse sucesso fosse alcançado.

Já o mestre-sala Phelipe, confirmou que o casal segue na escola em 2015.

– A gente segue, com certeza, na Imperatriz no carnaval 2015. A escola foi quem nos abriu a porta no carnaval e nos deu a oportunidade de defender nota. Ela já está no nosso coração. Nosso DNA é verde e branco.

Phelipe também comentou sobre o enredo com temática africana, que a Imperatriz levará para a avenida em 2015. Para ele, o carnavalesco Cahê Rodrigues vai ter muita facilidade no desenvolvimento do enredo.

– O Cahê é profissional excelente. Ele vai tirar de letra esse enredo afro. E espero que a gente venha mais uma vez com um excelente samba, pra que a gente possa fazer um belíssimo samba.

A Imperatriz ficou em quinto lugar no Carnaval 2014, e Phelipe e Rafaela não perderam nenhum décimo na avaliação dos jurados, sendo ao lado de Julinho e Rute, da Unidos da Tijuca, os únicos a conseguir notas dez em todas os módulos de julgamento.

Comente: