Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira e canto forte destacam desfile da Estácio, que entra na briga

 

 

 

A Estácio mostrou sua força. Com um desfile de alto nível, a escola entrou definitivamente na briga pelo acesso ao Grupo Especial de 2015. O canto forte de praticamente toda a escola e o casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira foram os principais destaques. No entanto, a Estácio deixou a desejar no quesito Evolução. A sexta escola a passar pela Sapucaí no sábado de Carnaval trouxe o enredo "Um Rio à Beira-Mar: Ventos do Passado em Direção ao Futuro", desenvolvido por Jack Vasconcelos, que foi apresentado em um desfile que durou 53 minutos.

* VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DESFILE

O carnavalesco da Estácio foi muito feliz em sua composição do desfile. O conjunto de fantasias da escola apresentou, de forma geral, uma fácil leitura do enredo. As alegorias, com exceção da última, eram ricas em detalhes e facilitavam o entendimento do tema do desfile. Além disso, os componentes abraçaram o Samba-Enredo e a alegria foi marca registrada da escola.

* CONFIRA A ANÁLISE CABINE A CABINE

Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A Comissão de Frente do coreógrafo Tony Tara representava o vento. As roupas eram todas brancas e, com movimentos dos tecidos, os dançarinos formavam uma bela coreografia. No entanto, a apresentação não causou uma reação muito marcante das arquibancadas. Em seguida, um dos pontos altos do desfile se apresentava. O casal Daniel e Alcione cativaram público e jurados com diversas interações, sincronia e passos rápidos. No entanto, uma falha pôde ser vista na apresentação diante da quarta cabine de jurados. Em um dos giros de Alcione, Daniel não se afastou o suficiente enquanto dançava e a bandeira acabou encostando na cabeça do Mestre-Sala. Apesar disso, o casal foi muito aplaudido em toda a sua passagem pelo Sambódromo.

Harmonia

A Estácio mostrou que seu chão pode fazer a diferença. O canto da escola, no geral, foi muito forte, com exceção da ala "Policiais e Gatunos", que passou com a grande maioria dos componentes sem cantar e desanimados, muitas alas se destacaram por gritar o samba e atravessar a Passarela com um sorriso no rosto, como pôde ser visto em "Piratas", "Candomblé no Terreiro de João Alabá", "Ranchos" "Birinights" e "Inspiração em Barcelona". Vale destacar marcante performance de Dominguinhos do Estácio e Leandro Santos, que empolgaram componentes e público durante todo o desfile, carregando o Samba-Enredo com maestria.

Evolução e Conjunto

A Evolução foi o quesito em que a Estácio de Sá deixou muito a desejar. Alas com muitos componentes ficaram presas em um espaço reduzido e isso atrapalhou a passagem dos componentes pela Sapucaí, como aconteceu com "Damas no Passeio à Beira-Mar" e "Revoltas da Vacina e da Chibata". Esse problema, inclusive, fez as alas se embolarem com as que vinham adiante ou atrás. Outro ponto negativo na Evolução da Estácio foram os "camisados" espalhados por toda a escola, ocupando as laterais da avenida e atrapalhando os componentes. No entanto, com relação ao ritmo da passagem da escola, a Estácio não cometeu erros.

Fantasias

Mais um ponto forte do desfile, as Fantasias, em geral, eram de muito bom gosto. Destaque para a beleza das alas "Damas no Passeio à Beira-Mar", "Escravos de Ganho", "Birinights" e "Chofer de Praça", que também facilitavam muito a leitura do Enredo da escola. A Ala das Baianas chamou a atenção pelo efeito das cores usadas na fantasia e pelo grande número de componentes.

Alegorias

A Estácio trouxe belas alegorias, com exceção do último, "De Barcelona Para o Rio de Janeiro – Um Porto Para o Futuro", que não apresentava a mesma riqueza de detalhes que os demais carros. Detalhe para os telões que passavam vídeos institucionais do Porto Maravilha. Destaques positivos do quesito foram o Abre-Alas "Cruzando a Guanabara" e "O Sonho Marinho de Pereira".

Comente: