Casal do Império Serrano sonha em um dia desfilar novamente à frente da bateria

 

 

Império Serrano foi mais uma escola que mexeu em um de seus principais quesitos para o carnaval de 2014. Após Raphaela Caboclo pedir dispensa do posto de porta-bandeira principal da Verde e Branca da Serrinha, a diretoria imperiana promoveu uma série de testes para chegar ao nome de Bárbara Falcão. Agora, resta aos novos parceiros manter as notas máximas conquistadas no último carnaval e ajudar o Império Serrano a retornar o grupo de elite do carnaval.

 
CARNAVALESCO – Qual é a importância de ensaiar no Sambódromo?

Alex Marcelino: "O ensaio técnico já é uma grande preparação para o desfile. A emoção e a adrenalina ficam em níveis muito altos. A gente procurou se preparar psicologicamente para executar o bom trabalho que estamos fazendo em nossos ensaios durante todo esse tempo de preparação".

CARNAVALESCO – Como está o ritmo de ensaios durante a semana?

Bárbara Falcão: "Estamos ensaiando na Marquês de Sapucaí e no espaço João Paulo Machado. Repetimos nosso treino seis vezes por semana, sendo três horas por dia. Tudo isso em um ritmo intenso, para dar tudo certo no carnaval".

CARNAVALESCO – Desfilar atrás da comissão de frente ou na frente da bateria?

Alex Marcelino: "É um sonho que tenho voltar a desfilar na frente da bateria. É lá que o coração bate forte e o sangue pulsa nas veias com toda energia".

Bárbara Falcão: "Acho que é um sonho de todo casal de mestre-sala e porta-bandeira desfilar na frente da bateria. Como disse o Alex, é ali que o coração da escola pulsa e tem mais emoção. Porém, precisamos pensar no que é melhor para o Império. Se é mais tranqüilo desfilar logo atrás da comissão de frente, que seja assim. Tenho certeza que será ótimo também. O que importa, de verdade, é fazer o melhor trabalho para nossa agremiação".
 
CARNAVALESCO – O que é mais importante no quesito: a dança, a bandeira no alto ou a forma de cortejar do mestre-sala?

Alex Marcelino: "A falta de qualquer um desses atributos acaba com a dança do casal de mestre-sala e porta-bandeira. Se a bandeira não estiver aberta, se o mestre-sala não cortejar devidamente a porta-bandeira e se a dança não for um conjunto, não podemos dizer que é um casal de mestre-sala e porta-bandeira. Pelo menos, foi assim que eu aprendi".

CARNAVALESCO – Dá para revelar alguma coisa da fantasia?

Bárbara Falcão: "A fantasia do casal e da comissão de frente é sempre um segredo guardado a sete chaves no carnaval. Tem que ser sempre uma caixinha de surpresas. Com certeza a nossa fantasia será uma excelente surpresa".

Comente: