Casal Zé Roberto e Thaís Romi conduz pavilhão do Porto da Pedra

 

 

Além da responsabilidade de carregar o maior símbolo de uma escola de samba, o casal de mestre-sala e porta-bandeira da Porto da Pedra, Zé Roberto e Thaís Romi, tem um desafio, ainda maior, no carnaval 2014. Afinal, com o enredo “Majestades do samba: Os defensores do meu pavilhão!”, a Vermelho e Branco de São Gonçalo fará uma homenagem aos grandes casais que passaram pela Avenida. Em conversa com o site CARNAVALESCO, os donos da bandeira do Tigre falaram sobre a preparação para o carnaval e o desfile oficial. O casal deu uma dica da fantasia que irão usar no desfile. – Não há muito que esconder em nossa fantasia, é um enredo que conta a nossa história e nos colocam como os reis e rainhas do carnaval.

 

CARNAVALESCO – Qual é a importância de ensaiar no Sambódromo?

 

Thais Romi: "O ensaio técnico é muito importante, porque a gente treina como se fosse pra valer. Ensaiamos no Sambódromo de segunda a sexta-feira, mas o ensaio técnico é diferente. Durante a semana a gente passa cinco vezes a coreografia".

 

CARNAVALESCO – Como está o ritmo de ensaios durante a semana?

 

Zé Roberto: "Geralmente a gente ensaia no espaço do João Paulo Machado e, agora, mais perto do desfile, estamos no Sambódromo, das 19h em diante. Além dos ensaios rotineiros, nós dois fazemos preparação física para que o corpo aguente o ritmo pesado de treinos e desfile. Estamos fazendo academia mais algumas atividades extras para aguentar dançar do setor um até o fim da passarela com o mesmo vigor".

 

CARNAVALESCO – Desfilar atrás da comissão de frente ou à frente da bateria?

 

Zé Roberto: "Sem dúvida, é melhor desfilar na cabeça da escola. Os coreógrafos de comissão de frente estão inovando a cada dia e, cada vez mais, criando uma interação com o casal. É bom vir logo ali na frente que a gente caminha como um bloco só. É mais fácil para o desenvolvimento da escola".

 

CARNAVALESCO – O que é mais importante no quesito: a dança, a bandeira no alto ou a forma de cortejar do mestre-sala?

 

Zé Roberto: "O casal tem que se comportar como se fossem namorados. Acho que o mais importante é a cumplicidade entre o casal, como diz o samba. Tem que haver um namoro constante, na verdade. Precisamos entender um ao outro no olhar. A cumplicidade é o principal".

 

Thaís Romi: "O principal é apresentar o pavilhão da escola de uma forma que o valorize para o público e para os jurados. Existem alguns aspectos, mas o entrosamento e, principalmente, apresentar o pavilhão de forma generosa e caridosa. Afinal, é o símbolo maior das escolas, o que representa cada um dentro de suas comunidades. Tem que ter um carinho muito grande e cuidar desse pavilhão".

Comente: