Castanheira fala sobre reforma nos barracões da Cidade do Samba

Um dos maiores questionamentos atuais de quem acompanha o cotidiano das escolas de samba refere-se às obras de reconstrução dos três barracões afetados pelo incêndio de fevereiro na Cidade do Samba. Em meio ao imbróglio envolvendo a seguradora da Cidade do Samba, o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, mostrou tranquilidade quanto ao prosseguimento da reforma no local em declaração exclusiva ao CARNAVALESCO

– Está tudo caminhando. Já chegamos a um bom termo. É só uma questão de ajuste da parte burocrática. Temos todas as reuniões marcadas para dar prosseguimento à obra. Acho que, muito em breve, nós já vamos estar na parte de reconstrução. Ainda estamos terminando a parte de demolição. Temos expectativa de que, em 90 dias após a assinatura do contrato, estejamos com uma boa parte da obra bem adiantada – disse Jorginho, sem definir data para a assinatura do contrato.

Já no que diz respeito ao atraso no início da concorrência para a licitação das obras de recuperação do lado ímpar do Sambódromo, revelado em matéria publicada no Jornal Extra da última semana, Castanheira disse confiar num ''ajuste técnico'' entre a Riotur e o Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, que pediu o detalhamento do orçamento da obra, fixado em R$ 5 milhões. Ele adiantou que a programação de ensaios técnicos com início previsto para 8 de janeiro, por hora, está mantida.

– Não há como prever algo que possa vir a acontecer. Nós trabalhamos dentro do cronograma apresentado pela Prefeitura e os ensaios técnicos estão incluídos nele.