Cid Carvalho explica o que a Mangueira espera dos compositores

A Estação Primeira de Mangueira entregará aos compositores na noite desta terça-feira, em sua quadra de ensaios, a sinopse do enredo ''Vou festejar, sou cacique, sou mangueira''. De acordo com informação confirmada pelo carnavalesco Cid Carvalho, os poetas mangueirenses receberão um dvd com depoimentos do jornalista Sérgio Cabral, da cantora Beth Carvalho e de Bira Presidente, integrante e fundador do Grupo de Quintal. Cid falou ao CARNAVALESCO qual o objetivo pretendido com a sinopse.

– Para explicar isso, vou voltar um pouco lá atrás. Quando falei de Amazônia com a Beija-Flor, pedi aos compositores para que não olhassem somente para as árvores e rios, mas para o que eles poderiam oferecer. Ali está a cura de doenças, a sobrevivência da raça humana. Quero que os compositores enxerguem muito mais do que os olhos humanos podem ver. O Cacique faz parte de um movimento chamado Carnaval de rua, isso é do Rio de Janeiro. Nos remete ao entrudo, blocos de sujos, blocos de embalo, a  raiz do nosso Carnaval. Sem contar que o Cacique de Ramos é um celeiro de cultura e de bambas fantásticos da história do samba. Este enredo é uma grande homenagem ao Carnaval de rua do Rio e, nada melhor que, o Cacique e a Mangueira para representarem isso – revelou Cid.


O artista, que faz a sua estreia na Verde e Rosa, garantiu também que não fará nenhum pedido aos compositores com relação a palavras na letra do samba. Cid afirma que este não é o papel do carnavalesco:

– Essa é uma opinião muito minha. Cada macaco no seu galho. Os compositores são pessoas gabaritadas para entenderem o sentido da sinopse, ainda mais uma ala como a da Mangueira, que não tenho nem palavras descrever. Eu não quis nem setorizar a sinopse. Geralmente faço isso. Mostro o que vai representar cada carro, mas quero que eles fiquem totalmente à vontade.

Cid Carvalho foi revelado pela comissão de carnaval da Beija-Flor de Nilópolis e resolveu seguir carreira solo a partir do Carnaval 2007, quando assinou o enredo ''Metamorfoses: do reino natural à corte popular do carnaval – as transformações da vida na Unidos de Vila Isabel e acabou em sexto lugar, seu melhor resultado no Carnaval carioca em carreira solo. Ficou três anos na Mocidade: 2008, 2010 e 2011. E um ano na Estácio de Sá – 2009.

Cara nova na Mangueira, Cid rasgou elogios à relação que vem tendo com o presidente Ivo Meireles:

– Até aqui é uma relação fantástica. O Ivo é artista, o que é uma peculiaridade entre os presidentes. Isso faz dele um presidente sensível. O artista entende mais o artista. Não que os outros presidentes  que eu trabalhei não me ouvissem, mas como ele é diferente. É um cara que tem algo a mais, dá liberdade, respeita, escuta, opina. É o ponto alto do meu Carnaval até agora.