Cid: ‘Quero o mangueirense com orgulho de ver a Mangueira passar na Avenida’

Simples, bem humorado, sincero e direto, o carnavalesco Cid Carvalho, da Estação Primeira de Mangueira, é uma das esperanças dos torcedores da Verde e Rosa para realizar um belo desfile. Ele contou ao CARNAVALESCO como anda o processo de confecção do carnaval 2013.

A Mangueira, que será a primeira escola do Grupo Especial a escolher o seu samba para 2013, já no próximo sábado, vai realizar seu lançamento de protótipos em outubro, ainda sem data definida, mas com o local escolhido: a casa de shows Barra Music. O carnavalesco revelou que o cronograma firmado vai muito bem, obrigado:

– Estamos em processo de finalização das fantasias. Entramos agora no último setor, este que eu estou gostando muito de fazer, particularmente, por retratar Cuiabá como cidade-sede e juntar sustentabilidade. Agora, como fazer isso de uma maneira bacana e carnavalizada? Resolvemos fazer o futebol dos bichos. A bola é o Tatu-bola, o bandeirinha será o tamanaduá- bandeira, o juiz é a cigarra, o craque do time é a cobra e o perna-de-pau será a garça.

Além disso, Carvalho aproveitou para mandar um recado para os torcedores mais receosos e, obviamente, preocupados:

– Nós não esperamos a conclusão dos protótipos para iniciar a reprodução das roupas, isso é importante falar para os mangueirenses. Aqui no barracão já temos o material das fantasias das baianas, baianinhas e de outras alas de comunidade. Vamos ter 43 alas na Avenida e metade delas serão da comunidade – ou até mais, ainda estamos fechando esse número – e tem a bateria que esse ano será em dose dupla (risos), gostei muito dessa ideia.

Cid também deixou claro que, a partir deste ano, os cuidados serão redobrados com as alas comerciais para que “alguns” presidentes de alas não pensem em lucros, e sim na escola:

– Na minha visão, isso pode ser mais rígido. Esse ano já está acertado que teremos uma fiscalização. Chegar em dezembro e ver o que os presidentes de alas já têm de material comprado e produzido, a ferragem da fantasia, caso ela tenha, assim vale para as penas, os tecidos. É acompanhar o processo de confecção das fantasias. E naturalmente perceber se está havendo troca de material, se isso foi autorizado pelo carnavalesco ou pelo presidente ou se foi aleatório, visando apenas o lucro, então essa fiscalização é importante. Claro que, quando falo sobre essa fiscalização, não estou falando de todos os presidentes de alas. Existem alguns extraordinários, eles até ajudam no trabalho, mas tem um ou outro que quer só lucrar e esquecem a escola. Isso não é só na Mangueira não, vale para quase todas.

O carnavalesco conta que levará para a Avenida uma Mangueira altamente verde e rosa e que produtos da região de Cuiabá serão usados na confecção das fantasias:

– Para cada setor temos uma linguagem com cores legais estabelecidas. É uma Mangueira bem verde e rosa, eu tinha muito essa vontade. A escola virá com muita pena, porque temos uma parte que fala de índios e também acho muito bonito ver a Mangueira com muita pluma – O movimento é bonito, parece um mar verde e rosa. Teremos também muita palha, material rústico como madeirinha, semente, produtos da região que estamos trazendo.

Sobre o último carnaval, Cid revelou que a escola fez um desfile de superação e que, para o próximo ano, com a ajuda de Cuiabá, a escola vai conseguir amenizar os problemas:

– O último carnaval foi muito difícil, foi mais um carnaval feito sem patrocínio e fizemos com muita luta. O nosso grande desafio era melhorar as alegorias e acredito que tivemos êxito. Nas fantasias eu tive grandes decepções quando cheguei à Avenida e vi algumas alas comerciais e até uma ou outra que tivemos alguns pecados na hora de reprodução. Detectamos alguns problemas na confecção do carnaval anterior e vamos procurar corrigir. Estamos adiantando a chegada de material, aumentando a fiscalização nas alas comerciais, porque não adianta a gente ficar aqui no barracão o dia inteiro e perder o carnaval lá fora, que é da Mangueira do mesmo jeito. No ano que vem, acredito que, na Cidade do Samba, pouquíssimas escolas não terão problema. Primeiro porque o carnaval é mais cedo, o calendário está apertado e precisamos correr contra esse tempo. Aqui na escola, com a parceria de Cuiabá, acredito que vamos amenizar – e muito – alguns problemas da escola. Vamos com um carnaval mais rico, as fantasias mais luxuosas e as alegorias mais altas, até porque o Sambódromo está pedindo. Isso só é possível devido ao parceiro.

Mesmo preferindo não falar em 2014 por estar muito focado no próximo carnaval, Cid demonstrou vontade de permanecer na agremiação e afirmou que todos lá dentro têm uma grande responsabilidade com a instituição. Ele revelou qual o seu grande desejo para o desfile de 2013:

– Vai parecer hipocrisia, mas não é. Meu desejo, do fundo do meu coração, nesses 23 anos de carnaval, é sair da Avenida e o mangueirense ter orgulho de ser torcedor desta escola tão fantástica, independente de título. O grande troféu para a gente será o torcedor bater no peito e dizer essa é a minha boa e velha Mangueira. Claro que queremos ser campeões ou pelo menos voltar no desfile de sábado, até para premiar todos os esforços e as críticas que a gente recebe durante um ano árduo de trabalho.

Comente: