Clara Nunes é o fio condutor do enredo da Portela

João SantoroA Portela entregou a sinopse do seu enredo “E o povo na rua cantando. É feito uma reza, um ritual…", do carnavalesco Paulo Menezes, aos compositores na noite desta terça-feira. Devido às obras em sua quadra, o evento aconteceu na sede da Portelinha – localizada na Estrada do Portela, em Madureira.

Estavam presentes o presidente da agremiação Nilo Figueiredo – que deixou o local antes da leitura da sinopse –, o diretor de carnaval Junior Escafura, Alex Fab, o coreógrafo Márcio Moura e o carnavalesco Paulo Menezes.

Aproximadamente 100 pessoas estiveram presentes, que foram chamadas de acordo com a listagem do ano passado para pegar a sinopse. Quem não participou ano passado foi chamado em seguida.

Logo depois, o presidente da agremiação explicou aos compositores que o melhor samba vai vencer. Em seguida, passou o microfone para o carnavalesco Paulo Menezes, que começou a leitura da sinopse.

Depois de algumas explicações aos compositores, Paulo contou ao CARNAVALESCO como espera desenvolver o enredo e sobre uma possível ida, ainda este mês, à Bahia:

– Sobre a viagem, eu já busquei tudo que podia. Agora são só acertos de desfile que vamos começar a trabalhar daqui para frente. Quanto ao enredo é sobre as festas da Bahia. Vamos usar a Clara Nunes, que sempre personificou a figura da baiana, da pessoa religiosa, que é tudo aquilo que Bahia representa. Então, a Clara, por ser um desejo da escola, por ser portelense e estar fazendo 70 anos, ela será um fio condutor do enredo – explicou Menezes.

Falar sobre Clara Nunes sempre foi muito debatido na Portela. O carnavalesco não fugiu desse assunto:

– Falar de Clara Nunes em uma escola que todo mundo deseja é um facilitador muito grande para quem trabalha. Assim, já chega com aceitação do portelense e popular. E, fora isso, eu sou fã da cantora, da artista e da mulher que ela foi. Então, eu queria fazer essa brincadeira com a Clara e acabei conseguindo. A Serra Gaúcha não foi, a Bahia entrou e conseguimos fazer o que queríamos – finalizou o carnavalesco.

A data de entrega dos sambas acontecem no próximo dia 24 de agosto, na Portelinha e, os cortes, no sábado seguinte dia (27 de agosto), na quadra da Caprichosos de Pilares, onde será a casa da agremiação até o fim das obras em sua tradicional sede.

A azul-e-branco de Madureira, que em 2011 não foi julgada devido ao incêndio que atingiu o seu barracão, espera quebrar o jejum sem título. A agremiação será a segunda escola a desfilar no domingo de carnaval.