Colunista analisa os ensaios do fim de semana

Todos somos cientes de que nos ensaios técnicos muita coisa é realizada diferente do planejado para o desfile oficial, principalmente em duplas ou grupos coreografados, como comissão de frente e casal de mestre-sala e porta-bandeira. No entanto concordamos que muita coisa pode ser validada ou testada nesses referidos ensaios, como o canto, o samba-enredo e ritmo de desfile; por isso, quanto mais próximo da realidade do desfile oficial, melhor o poder de avaliação. Todo esse preâmbulo é para justificar que cada deslize ou crítica pode servir como “feedback” para o próximo ensaio (na avenida ou particular).

IMPÉRIO DA TIJUCA
Comissão de frente apresentou (acho) bastante coisa do oficial. Bem alegre e bem coreografada. O casal de mestre-sala e porta-bandeira se apresentou com um bailado coordenado e ensaiado; no entanto se fosse à vera, poderia perder décimos pelo fato de a porta-bandeira falar com seu par ou quando , na saída, alisou a careca do mestre-sala. Baianas, alegres, evoluíam sem parar e excelente evolução da ala de passistas. Ala das crianças e que estava à frente do carro 4 não cantavam o samba.

ESTÁCIO DE SÁ
Comissão de frente bem carnavalesca com leques e “dando pinta” animou bastante o público. Não sei se é a coreografia oficial, mas se for deveria haver mais variedade de passos. O casal de mestre-sala e porta-bandeira evoluiu bem, porém o mestre-sala em certo momento, ajoelhou no chão um tempo considerável para prejudicar a dança. Com exceção da ala que vinha exatamente à frente da bateria, toda escola cantou muito o samba enredo. Excelente apresentação da ala de passistas. Houve diretores no meio das alas, o que poderia comprometer a pontuação da escola.

IMPERATRIZ
Excelente apresentação da comissão de frente que, mesmo não executando tudo do oficial, foi simpática e apresentou a escola ao público, o que muitas acabam esquecendo de fazer.  O casal de mestre-sala e porta-bandeira  fez uma bela apresentação, com mestre-sala expondo toda energia e honra em sua dança. Mesmo com harmonias no meio da ala das baianas, a escola evoluiu bastante e cantou muito o samba que funcionou muito bem no ensaio… até o momento de fazer o”teste” de deixar a escola sem o som, para, talvez, testar o canto dos componentes.  Uma pena, pois as últimas alas vinham com bastante “gás”, tinham de se calar, pois atravessou o samba em todo o trecho final.

VIRADOURO
Com todo o porte e volume de componentes de uma escola do Grupo Especial, a Viradouro deu um banho de animação e alegria em seu ensaio. Bateria soberba ! O casal de mestre-sala e porta-bandeira demonstrou um certo nervosismo no início e melhorando no meio de sua apresentação. Ala de passistas veio escondida, na lateral pelo carro de som. Alas 24 e 25 cantavam a plenos pulmões. Parabéns.

UNIÃO DA ILHA
Melhorou 100% em relação ao primeiro ensaio morno. Desta vez conseguiu mostrar o verdadeiro espírito de alegria com o qual a Ilha sempre nos brinda. Comissão e casal de mestre-sala e porta-bandeira perfeitos e, mais uma vez, a ala dos punks e roqueiros deram um show.

SALGUEIRO
A harmonia optou por um desfile bem compacto, fazendo com que a escola passasse tão comprimida, que pareceu  estar bem pequena. Por outro lado, após a completa apresentação da comissão de frente, a harmonia bobeou e abriu-se um grande buraco, o mesmo acontecendo antes da bela apresentação do casal de mestre-sala e porta-bandeira. O casal, aliás, com bom jogo de cintura, percebendo o grande espaço que o separava até a 1a cabine, simulou uma coreografia ou corridinha até chegar frente a ela. Com exceção da ala 28, as alas cantaram muito o ótimo samba enredo. Atenção para ala 26 que trouxe filas com mais de 20 componentes, o que é impraticável.

Comente no espaço abaixo: