Com 26 votos, parceria de Paulinho Valença vence no Império Serrrano

Sonhando em voltar ao Grupo Especial, o Império Serrano já tem seu hino para 2013. E os donos da obra de 2013 são Paulinho Valença, Henrique Hoffmann, Marcelo Ramos, Popeye, Filipe Araújo, Beto do Império e Airinho. Como na letra do samba – “Renasce na fonte do samba um novo Império Serrano” – a verde e branco vem renascendo e ficando cada vez mais forte e no próximo ano vai contar sobre Caxambu na Avenida. Paulinho Valença conversou com o CARNAVALESCO e falou da emoção de ganhar uma disputa no Império:


* Clique aqui e ouça o samba do Império Serrano para o Carnaval 2013


– Chegar numa final no Império Serrano é diferente, eu passo mal, fico tenso parece sempre a primeira vez. Esse nosso samba teve um diferencial, todos participaram. Conseguimos criar um belo samba e graças a Deus fomos iluminados com a vitória.


Uma das grandes vozes da Avenida, o intérprete Nêgo – que está de volta para agremiação – comentou a importância de se levar uma grande obra para o desfile de 2013: – O samba quando é bom ajuda em tudo. Não ajuda somente o intérprete, carrega todo o chão da escola. Eu já tive a felicidade de cantar 'Aquarela' e levamos nove prêmios e em 2006 também tivemos um grande samba, ou seja, quando o Império tem um sambaço a escola ajuda e muito o desfile.

 

Confira como foram as apresentações da noite

 

Parceria Hoffman: O samba favorito da noite fez o esperado. Com uma torcida animada e ajudando quando solicitada, o palco conseguiu carregar bem o samba, alguns admiradores na quadra, acharam que durante as eliminatórias o samba passou melhor. Mas com sua apresentação se mostrou forte candidato à vitória na noite.
 

* Veja aqui o vídeo da apresentação da parceria campeã no Império Serrano


Parceria Aluisio Machado: Ótima presença de palco. Passou muito bem durante a apresentação. Wantuir deu um show. Torcida também não deixou o samba cair fazendo com que os compositores acreditassem numa possível vitória. Melhor apresentação da noite.

 

Arlindo Neto: Com um show pirotécnico no palco, a parceria de Arlindinho levou bem o samba durante sua apresentação. Um problema de microfonia, com o cabo do segundo cavaquinho, tirou Arlindo Neto do sério durante a passagem de seu samba na quadra. Quando solicitada a torcida cantou o samba. Fez uma boa apresentação, mas corria por fora na disputa.

 

Parceria de Chupeta: Outro samba que corria por fora. Mostrou uma boa evolução no palco, mas quando solicitada a torcida só cantou o refrão do meio. Dois casais fizeram uma dança de jongo no palco. Mesmo com toda empolgação não conseguiu passar esse entusiasmo para os segmentos da escola.

 

A tarde “noite” na quadra

 

A quadra do Império Serrano começou a receber um bom público a partir das 17h. Uma grande festa foi preparada para a escolha do samba para 2013. Pagode durante a tarde, depois os finalistas puderam passar os sambas para os presentes junto com o grupo de pagode e na sequência a apresentação da Sinfônica, a bateria da escola. Porém, ainda precisava coroar oficialmente a nova rainha de bateria, Quitéria Chagas, que super emocionada recebeu das mãos da ex-carnavalesca, Maria Augusta, as boas vindas, ou melhor, bom retorno.

 

Depois de toda a cerimônia foi a vez dos sambas empolgarem as torcidas e o público na quadra. O superintendente da agremiação, Jener Tonasso,  afirmou que vai repetir o processo das alas do último carnaval: – O samba ajuda a harmonia, evolução, conjunto, além do samba-enredo, isso já se transforma em quatro quesitos. O dia da escolha do samba é o dia mais importante da escola. Devemos ter um pouco mais de 20 alas. Ano passado já foi demonstrado e iremos fazer esse ano novamente, a escola não divide alas comercias e alas da comunidade. Nós colocamos a comunidade em todas as alas para a agremiação evoluir harmoniosa e linear. Cada ala vai levar 40 ou 50% da comunidade.

 

Ainda de acordo com Tonasso, a escola além de ensaiar na quadra às quartas-feiras, a partir do dia 28 de outubro, os ensaios vão ocorrer aos domingos no Parque Madureira. O carnavalesco Mauro Quintaes contou que o carnaval no início de fevereiro faz com que os trabalhos precisem ser iniciados mais cedo: – Quanto mais tempo você tem é melhor, todos os carnavalescos querem mais tempo e o carnaval no início de fevereiro sem dúvida atrapalha um pouco. No ano passado fizemos uma festa de protótipos fechada, esse ano não, vamos fazer uma festa aberta para  apresentar como está sendo desenvolvido o carnaval do Império. Já estamos finalizando os protótipos e depois é direto no barracão. Já estou com as plantas prontas e os desenhos feitos e, sem dúvida nenhuma, eu sinto que esse ano está mais bacana que ano passado.

 

Já sobre a questão de ter um enredo patrocinado, o carnavalesco afirmou que é sempre bom ter uma ajuda no carnaval da escola, já que a subvenção é baixa: – Não é um patrocínio direto, são pequenos patrocinadores que vão pulverizando pequenos valores fazendo com que a máquina não pare. Repito não existe um grande patrocínio de Caxambu. É melhor falar de Caxambu com um pouquinho do que fazer outro enredo sem nada. O enredo é bom e uma ótima história, e sem essa ajuda fica quase impossível fazer o carnaval, mesmo no acesso com R$ 400 mil.

 

Bateria e presidente

 

Mestre Gilmar conversou com o CARNAVALESCO sobre as bossas colocadas nos sambas concorrentes da noite: – As pessoas que estiveram hoje notaram que fizemos um trabalho em cima dos concorrentes. O legal é que fizemos isso no ano passado e esse ano os compositores pediram para fazer isso novamente. Nossa bateria vem ensaiando desde maio duas vezes por semana. A gente não deixa nada para cima da hora.

 

Sobre o novo Sambódromo, Gilmar confessou que vai deixar a bateria uma pouco mais pesada no desfile: – Assusta um pouco quando a gente sai do primeiro box, se abre tudo. O som se espalha e se propaga, vamos aumentar algumas primeiras e terceiras e vamos com mais peso. Isso não significa que tenha piorado, eu acho que tudo que fazem para melhorar o nosso carnaval é válido.

 

Já a porta-bandeira Raphaela Caboclo afirmou que os ensaios com seu companheiro não pararam e que até o carnaval o ritmo será muito maior: – Na verdade não paramos de ensaiar desde o carnaval e depois dessa escolha a tendência é aumentar. Por enquanto estamos ensaiando duas vezes na semana e até chegar o carnaval, acredito que estaremos ensaiando quase todos os dias (risos).

 

O presidente da agremiação, Átila Gomes, falou sobre o samba campeão e o quanto ele mexe com essa nova fase que a agremiação vem passando:

 

– Esse novo Império precisa de um samba leve, curto, emocionante e empolgante, obviamente, sempre dentro do enredo. Os sambas que disputaram as eliminatórias foram muito bons, mas só um leva. O samba que venceu hoje é o mais adequado linearmente para o desfile. Ele tem uma fácil dicção e é emocionante. Mostra a nossa garra. Estamos voltando com tudo.

 

Comente: