Com a presença dos filhos de Jorge Amado, Imperatriz entrega sinopse aos compositores

Que a Imperatriz se dá muito bem quando tem a Bahia em meio aos seus enredos ninguém duvida. Além de ter vencido o campeonato com “O que é que a Bahia tem”, em 1980, eternizou o samba “Ôropa, França e Bahia”, dez anos antes. Aproveitando a ligação de Jorge Amado, tema de seu enredo para o próximo carnaval, com a terra de Mãe Menininha do Gantois, a direção da Imperatriz Leopoldinense promoveu uma bela festa para celebrar o lançamento da sinopse que servirá de inspiração para os poetas gresilenses.

Integrantes da família do escritor baiano fizeram questão de prestigiar o evento, que aconteceu na noite desta terça-feira, na quadra da agremiação, em Ramos. Entre os presentes estavam Paloma e João, filhos de Jorge Amado. Para João, os responsáveis pela produção do texto foram muito felizes na pesquisa e na abordagem que fizeram da vida e obra de seu pai.

– A vida e a obra do Jorge Amado são coisas muito amplas. Ele produziu material para da origem a muitos carnavais. O carnavalesco e o pesquisador foram muito felizes na abordagem e no enfoque que fizeram da vida de meu pai. A maneira como trataram cada aspecto de sua  obra foi muito particular. Até as citações às criações infantis foram lembradas, apesar de não serem muito conhecidas – afirmou.

Confira a leitura da sinopse feita pelo diretor de carnaval Wagner Araújo:

Emocionado, João Jorge fez questão de destacar que seu pai se sentiria mais a vontade recebendo uma homenagem dentro de uma manifestação popular, como é o carnaval, do que de um modo erudito.

– O carnaval do Rio é a mais espetacular festa do planeta. A presença de meu pai dentro do enredo de uma escola de samba fecha o ciclo que ele iniciou quando escreveu o livro “O país do carnaval”, mostrando uma parte da vida brasileira. Meu pai deve estar muito feliz, pois, como homem do povo, se tivesse que escolher uma maneira de ser homenageado, certamente seria em uma festa popular como o carnaval – frisou.

Para celebrar o clima de união e tranquilidade que o bairro de Ramos (onde está localizada a quadra da Imperatriz) vive, a diretoria serviu um churrasco para todos os presentes. Após o jantar um grupo de bailarinos comandados por Flávio Batista, coreógrafo responsável pela comissão de frente do Paraíso do Tuiutí, divertiu a todos. Cenas de obras consagradas de Jorge Amado, como “Dona Flor e seus dois maridos”, “Tieta do agreste”, “Tenda dos milagres” e, especialmente, “Gabriela’’ levaram o público ao delírio.

Veja a apresentação de homenagem para Jorge Amado:

O diretor de carnaval, Wagner Araujo, explicou como surgiu a ideia do enredo e como foi feita uma parte da pesquisa sobre a vida de Jorge Amado. Bem humorado brincou com os compositores o tempo todo, mas lembrou que àqueles que estão retornando para a disputa de samba primeiro devem conversar com o presidente, pois a Imperatriz é uma escola muito ciumenta.

– Alguns compositores são oportunistas demais. Aquele que estava fora e estiver voltando para querer disputar samba aqui esse ano, primeiro tem que vir conversar com o presidente. A Imperatriz é uma escola ciumenta. Temos muito ciúmes de nossos poetas. A ideia do enredo veio de um integrante da ala de compositores. Apresentamos ao Luizinho que adorou a sugestão. Eu estava insistindo para que o enredo fosse lançado antes do carnaval, pois como é aniversario de cem anos do Jorge Amado alguma outra escola poderia ter a mesma inspiração. Tivemos que esperar, mas felizmente acabou dando tudo certo. O tema é muito rico e na Bahia existe uma fundação que cuida de toda a obra de Jorge Amado. Por isso, foi mais fácil de juntar dados sobre a vida dele – disse Wagner.

O intérprete Dominguinhos, que passou por delicados problemas de saúde recentemente, fez questão de comparecer a quadra da escola e espantar definitivamente os boatos de que estaria sem condições de empunhar o microfone na Avenida. O jovem casal de mestre-sala e porta-badeira, Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro, o mestre de bateria Marcone, as tias baianas entre outros segmentos da agremiação marcaram presença e ajudaram a abrilhantar, ainda mais, a noite de festa gresilense.

Veja a mensagem do carnavalesco Max Lopes: