Com Comissão de Frente aclamada pelo público, Caprichosos faz bom desfile

 

 

 

A Caprichosos de Pilares cumpriu bem o seu papel no desfile deste sábado, na Marquês de Sapucaí. Com um enredo sobre a Lapa, bairro do Rio de Janeiro, a agremiação teve como grande destaque a sua Comissão de Frente, que arrebatou o público e os jurados, recebendo muitos aplausos com uma coreografia que mostrou vários momentos de explosão. O samba também teve bom rendimento e foi cantado de forma satisfatória por seus componentes. Os pontos negativos foram os problemas de evolução no fim do desfile, o desacoplamento do Abre-Alas e a queda no nível das fantasias no quarto setor da escola.

* VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DESFILE

O enredo "Dos Malandros e das Madames: Lapa, a Estrela da Noite Carioca" foi bem desenvolvido pelo carnavalesco Amauri Santos, mostrando o bairro em todas as suas vertentes. Porém, algumas fantasias, como a das alas "Bota Abaixo", "Blocos da Lapa" e "Lapa, Pavilhão da Cultura" foram de difícil leitura. A Caprichosos foi a quarta escola a entrar na Sapucaí.

* CONFIRA A ANÁLISE CABINE A CABINE

Comissão de Frente e Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A Comissão de Frente comandada por Hélio Bejani deu um verdadeiro show na Avenida. Com a fantasia "Lamento, Arte e Fé", a coreografia começava com homens vestidos de mulheres escravas levando um jarro. Na sequência, com o jarro no chão, eles tiravam a roupa e mostravam uma roupa de malandro por baixo. Uma cabeça era puxada de dentro do jarro e a peruca que usavam era colocada, além da roupa se tornar uma saia, formando uma mulher e levantando o público e o jurado em todos os módulos. No fim, surgia Madame Satã para o gran finale. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, formado por Diego Falcão e Jaqueline Gomes, se apresentou de forma competente e também foi aplaudido pelos jurados. A bela fantasia da dupla também chamou a atenção.

Harmonia

O canto da Caprichosos aconteceu de forma bastante satisfatória, com a maioria das alas cantando forte o samba inteiro da Azul e Branca. O samba interpretado por Thiago Brito funcionou bem. Os dois primeiros setores da agremiação eram os mais vibrantes. No terceiro setor houve uma leve queda no canto.

Evolução

O calcanhar de aquiles da Caprichosos de Pilares foi a evolução no fim do desfile, quando acabou correndo um pouco, mas terminou o desfile em 54 minutos. O maior erro foi na apresentação da bateria na apresentação no quarto módulo, quando a ala de passistas seguiu evoluindo e abriu um grande buraco.

Fantasias

As fantasias eram de muito bom nível nos dois primeiros setores da Caprichosos, com muito bom gosto nos figurinos. O último setor deve prejudicar a escola no quesito, já que claramente havia um desnível na qualidade das fantasias se comparadas com o restante da escola. As alas "Forró" e "Samba" foram os principais exemplos negativos.

Alegorias

As alegorias da Caprichosos, senão chegaram a ser espetaculares, eram de bom gosto. Houve um problema no Abre-Alas (Construção do Aqueduto), que passou desacoplado e deixou a escola com cinco alegorias, o que deve acarretar em perda de pontos para a agremiação. Os outros três carros, "Bordou e Pintou Carnaval", "Requinte à Francesa" e "Lapa, Pavilhão da Cultura", passaram com competência pelo Sambódromo.

Comente: