Com dinheiro ou sem dinheiro os mangueirenses brincam!

Por Diogo Cesar Sampaio

desfilantemangueiraFazendo jus aos versos do samba da Mangueira, para o componente da Verde e Rosa pouco importa o brilho e a renda. Afinal, para quem é sambista de fato, luxo em fantasia é só um detalhe, e pecado mesmo é não brincar o carnaval!

Embriagada no espírito crítico do enredo, a Mangueira promete uma volta aos carnavais de outrora, quando o samba e o sambista ainda eram os grandes protagonistas da festa. O site CARNAVALESCO ouviu componentes da escola ainda na armação para entender se o dinheiro realmente faz diferença na hora de brincar o carnaval.

– Claro que o mangueirense brinca. Sempre brincou e vai brincar a vida inteira. E vai ser campeã – afirmou Francisco Bezerra, de 65 anos, componente da velha guarda da Mangueira.

A componente Maria de Lourdes Batista, de 50 anos, que desfila há 20 anos na agremiação enfatizou que brinca, sim, com ou sem verba.

– Com ou sem dinheiro, o mangueirense brinca da mesma forma. Com certeza, a gente vai apresentar um bom desfile. Está todo mundo muito empolgado, cantando o samba e vamos para as cabeças – previu esperançosa.

A passista Cirlene de Oliveira, de 43 anos, está na Mangueira desde 2005, sendo há 5 na ala de passistas. Ela afirmou que para o sambista de verdade, dinheiro ou falta dele não é empecilho algum.

– Brincar, o mangueirense sempre brinca. A Mangueira é uma escola muito respeitada. A gente consegue fazer um carnaval de alegria que vem do fundo da alma e do coração. A partir do momento que você gosta, ama e respeita o carnaval e o samba você consegue se vestir bem, jogar um brilho e para gente fica maravilhoso. E com dinheiro ou sem dinheiro, a gente vai fazer um ótimo carnaval – declarou.

Naomi Nascimento, de 22 anos, baiana da escola há 4, aproveitou para falar sobre sua paixão pela Verde e Rosa.

– Sou mangueirense desde o útero, e digo que com certeza o mangueirense brinca. Dinheiro não impede a Mangueira de brincar o carnaval, em momento algum! – garantiu.