Com grande atuação de Bruno Ribas, Tom Maior colore a avenida de vermelho, amarelo e branco no ensaio técnico

tom-maior-82A Tom Maior é uma escola marcada por conquistar vários cantos de São Paulo. Ela tem origem no Sumaré, sede em Pinheiros, já teve quadra no Bom Retiro, e hoje conquistou toda a capital. E neste sábado, durante o seu ensaio técnico, não foi diferente. Pessoas de todos os cantos de São Paulo foram contagiadas e cantaram o samba em homenagem a cantora Elba Ramalho. O maior responsável por isso foi Bruno Ribas. O intérprete está em seu primeiro ano na escola, mas tem segurança total no que faz, e mostrou a que veio, empolgando o público e colocando as arquibancadas para cantarem o samba da Tom Maior. Para Bruno, nordestino, cantar esse enredo é ainda mais emocionante.

– Falar de Elba para mim é especial, porque eu sou nordestino, e eu vou poder falar da minha terra mais uma vez. Já fui campeão falando de Luiz Gonzaga. Então, tive oportunidade de falar do nosso rei, agora vou poder falar da rainha. É ótimo. O nosso desempenho aqui hoje foi excelente. Alcançamos o nosso melhor. E agora nós vamos com tudo – disse.

banner_holiday

tom-maior-43Bruno ainda mandou uma mensagem aos cariocas, agradecendo pelo sucesso que o samba da Beija-Flor está fazendo. É que ele foi o cantor que defendeu o samba campeão na fase de disputas.

– Esse samba é o samba do ano. Graças a Deus ele foi escolhido e fico muito feliz pela escola. Agradeço a todos que abraçaram ele.

Evolução e Harmonia

A Tom Maior teve pequenos deslizes do meio para o final, com um anda e corre de algumas alas, que ora ficavam mais para trás, ora corriam mais para alcançar quem estava na frente. Com isso, se verificou alguns espaçamentos entre alas, que deve ser ajustado para o carnaval. Erros pequenos se comparados ao desempenho geral da escola, mas que, numa disputa, pode ser a diferença entre ganhar ou perder.

tom-maior-31Um outro ajuste que a escola precisa fazer é no canto. Bruno Ribas teve um grande desempenho com o seu carro de som, empolgando o público e fazendo as arquibancadas cantarem, mas dentro da própria Tom Maior havia componentes que não cantavam. Isso já vinha acontecendo em ensaios anteriores e a escola ainda não conseguiu ajustar.

Bateria

A bateria passou muito bem, bastante integrada com o carro de som. O mestre Carlão, que dirige a bateria da escola, se disse satisfeito com o que fizeram nessa noite.

– Aqui nós vimos que evoluímos, e estamos no caminho certo. Alcançamos o nível que a gente queria. E agora, é esperar o dia do desfile, e nele faremos o que fizemos hoje: uma bateria com 146 de bpm, bem harmônica, duas convenções e vários arranjos. E a gente se inspira na história da Elba para sempre perseverar. É a maior lição desse enredo da vida dela que fica para nós: perseverança sempre – afirmou.

tom-maior-48Comissão de frente

O grupo abrirá o desfile representando um patrimônio da cultura nordestina: o cordel. No ensaio, foi um dos segmentos que mais chamou a atenção por já ter vindo ensaiando com o seu objeto coreográfico. O coreógrafo da comissão de frente, Robson Bernardino, explicou a proposta.

– A nossa comissão representa a literatura de cordel. E hoje foi um momento para a gente observar e aperfeiçoar os movimentos, além de analisar a questão da distância do objeto coreográfico e os dançarinos. E falar de enredo é ótimo, porque essa mistura de samba, xaxado, frevo, forró, deu ritmo, deu música, porque o nordeste tem ritmos musicais contagiantes e tudo orna com a alegria do samba, e isso é contagiante. É a mesma alegria – explicou.

Mestre-sala e porta-bandeira

tom-maior-66Com um bonito bailado e bastante interação entre os dois e com o público, o casal Jairo e Simone mostrou que a parceria de anos tem dado certo, e estão prontos para gabaritarem no dia do desfile.

Outros Destaques

A escola tingiu a avenida com balões das cores da escola, criando um efeito visual muito bonito, e que disfarçou a parte que não cantou o samba. A avenida foi tomada de balões vermelhos, amarelos e brancos, em praticamente todas as alas.

Vinda do Acesso após falar de Milton Nascimento, a escola aposta, mais uma vez, num enredo-homenagem. Dessa vez, a Elba Ramalho, a mulher que “canta em oração o folclore do Nordeste: forró, frevo, xaxado…”, aos cuidados do carnavalesco Cláudio Cavalcanti, o Cebola. A Tom Maior desfilará na sexta-feira de carnaval abrindo os desfiles.