Como um rolo compressor vermelho e branco, Viradouro confirma favoritismo em último ensaio

Por Diogo Cesar Sampaio e Winnie Delmar

viradouro_ensaio2801_2Neste domingo, Niterói reuniu suas três representantes no carnaval carioca para uma noite de ensaios na Amaral Peixoto. Segunda a se apresentar, a Viradouro já entrou pisando forte e com um grande canto da comunidade, já iniciando o ensaio de forma avassaladora. A vermelha e branca do Barreto foi o grande destaque da noite, sendo a escola que atraiu maior número de espectadores durante sua passagem e trouxe o maior contingente de componentes.

O ensaio foi arrebatador. A escola se apresentou de maneira organizada, separando bem suas alas, muitas delas trazendo balões nas cores da escola, fazendo um belo efeito, além de painéis representando cada uma das alegorias. O carro de som teve um belo desempenho, tendo a frente o espetacular Zé Paulo, porém o samba chegou ao final do ensaio mostrando queda no rendimento. A evolução irregular também foi um ponto fora na curva na bela apresentação da Viradouro.

Comissão de Frente

Tendo o experiente Márcio Moura à frente, a comissão da Viradouro se apresentou de maneira correta. Trazendo uma coreografia apostando muito em movimentos corporais e de braços longos e contínuos, a apresentação também tinha grande toque de teatralidade, marca registrada do coreógrafo. Os bailarinos cantavam o samba com força, e executaram os movimentos com bastante sincronia.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

viradouro_ensaio2801_5Julinho e Rute fizeram uma bela apresentação, como já é característico do casal. Rute estava vestida com as cores do pavilhão, vermelho e branco, em um vestido repleto de brilho; enquanto Julinho vestia um traje também em vermelho e branco, trazendo o escudo da Viradouro no peito e nas costas. A apresentação foi tradicional, com bastantes giros, rodopios e reverências, além de uma forte vibração e sincronia perfeita. O casal arrancava muitos aplausos ao final das apresentações.

– Nunca vi um município que é tão acolhedor. Os torcedores vem com chuva, sol, eles são muito assíduos, são muito escola mesmo. As três escolas reunidas, no mesmo lugar, no único dia, é um brinde para esse público. Para a gente já começa a dar aquela tristezinha que é o último dia de ensaio, mas para o público é um brinde, é uma festa para eles – comentou a porta-bandeira.

– É um frisson diferente, mas a gente está tranquilo ao mesmo tempo. Pelo trabalho que está sendo realizado desde cedo, nós estamos muito felizes com a Viradouro. A escola também nessa reciprocidade conosco – completou o mestre-sala.

Harmonia

viradouro_ensaio2801_4O grande destaque da apresentação da Viradouro foi a harmonia. Os componentes, desde a arrancada, cantavam o samba em alto e bom som. O destaque vai para a primeira ala e as alas próximas a bateria, como as que mais cantaram o samba. Porém, mesmo assim, houve algumas a alas que não cantaram. A ala das baianas pode render mais, elas poucas cantaram o samba durante o ensaio.

– Eu sou muito crítico, mas acho que hoje como último ensaio técnico de rua, chegamos bem perto do que a gente entende como a distância da avenida oficial. Podemos entender que ficamos perto do que consideramos ideal. Vamos fazer alguns ajustes para no desfile a gente fazer o que acha que é o melhor – disse Dudu Falcão, que é da direção de carnaval.

Evolução

Irregular é a melhor palavra para definir a evolução da Viradouro. Oscilando bastante, a escola começou de maneira tranquila, sendo que a partir do meio do ensaio começou a acelerar o passo e até chegar a correr, para no final voltar a um ritmo mais calmo, em momentos até arrastado. A irregularidade se refletia também nas alas, enquanto algumas desfilavam pulando e cantando, outras mostravam desanimo e falta de canto, entre elas, baianas, que giraram pouco, e as alas finais, dando um ar de arrastado ao final da apresentação.

Samba-Enredo

viradouro_ensaio2801_1É inegável o desempenho espetacular de Zé Paulo. Com auxiliares de luxo, como o experiente Celino Dias, o cantor executa com maestria a obra da Viradouro, e tem excelente interação com os componentes, sendo um dos responsáveis pelo forte canto e ânimo dos desfilantes. Aliás, o samba é muito bem defendido pela escola como um todo, principalmente, os dois refrões. Porém,, o samba apresentou certa queda de rendimento do meio para o final. O que pode justificar isso é a falta ou pouco canto a partir do segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Bateria

A Furacão Vermelho e Branco, comandada por Mestre Maurão, fez um boa apresentação durante o ensaio. Com algumas bossas e convenções ao longo da passagem, a bateria foi responsável por incendiar o público e os componentes. A rainha de bateria Raissa Machado também mostrou o seu samba no pé já conhecido e entrosamento com a bateria.

– O ensaio de hoje foi bom. Fizemos na pista toda, como fosse na Marquês de Sapucaí. Agora vamos esperar o momento, o que tinha que fazer já fizemos, agora é só esperar mesmo o momento. Domingo que vem já começo a entregar a fantasia – disse mestre Maurão.

Outros destaques

Algumas alas chamaram a atenção de quem assistia durante o ensaio da Viradouro, entre elas, estava a ala 15, que desfilou fantasia como cartas de baralho e com lanças na mão. Outra que chamou bastante atenção foi a última ala, que vinha com grandes bolas vermelhas executando alguns movimentos, de maneira solta e alegre. O ensaio contou com a presença ilustre do carnavalesco da agremiação Edson Pereira, que desfilou acompanhando o carro de som e com a camisa da Viradouro.

Destoou: O site CARNAVALESCO repudia o comportamento dos integrantes da Harmonia da Viradouro que agrediram nossa equipe de reportagem com soco e chutes durante o ensaio. Este tipo de comportamento não é aceitável em uma escola de samba, lugar de alegria e confraternização. Em 10 anos de cobertura da Viradouro nunca tivemos nenhum problema e esperamos que essa postura que não condiz com a escola e sua comunidade seja eliminada do dia a dia da agremiação. Nota de resposta da escola: “Sobre o episódio relatado, que teria envolvido um profissional deste conceituado site, esclareço que estive praticamente durante todo ensaio posicionado justamente próximo à bateria e não presenciei qualquer anormalidade. Ainda assim, lamento qualquer transtorno que possa ter sido causado. A escola vai solicitar a empresas que tenham câmeras externas de monitoramento que possam ter registrado o ocorrido para, se for o caso, tomar as providências necessárias. A conduta da Viradouro é – e sempre será – a de acolher, da melhor maneira possível e com toda cordialidade, qualquer pessoa que da escola se aproxime, nos ensaios de quadra e de rua, postura que a própria equipe do Carnavalesco já deve ter observado em coberturas anteriores”, Marcelo Calil, Presidente de honra do GRES Unidos do Viradouro.