Compositores da Beija-Flor revelam suas expectativas para a grande final

Atual campeã do carnaval, a Beija-Flor vai escolher nessa quinta o samba que irá embalar sua busca pelo bicampeonato em 2016. Com o enredo ‘Mineirinho Genial! Nova Lima – a cidade natal. Marquês de Sapucaí – o poeta imortal’, a azul e branca de Nilópolis teve 22 sambas inscritos. A disputa transcorreu de forma diferente, com apresentações a portas fechadas no barracão da escola e cortes já no início. Assim, apenas as obras consideradas “competitivas” pela direção foram para o concurso de quadra. Após acompanhar as eliminatórias, o site CARNAVALESCO ouviu as quatro parcerias que chegaram na final: a de Marcelo Guimarães, a de J.Velloso, a de Junior Trindade e a de Serginho Aguiar.

* OUÇA AQUI OS SAMBAS FINALISTAS

* VEJA AQUI: LUIS CARLOS MAGALHÃES COMENTA SOBRE OS SAMBAS FINALISTAS

‘Torcedores da escola tatuaram versos do nosso samba’, conta Marcelo Guimarães

* VOTE AQUI E ESCOLHA O FAVORITO PARA VENCER

Marcelo Guimarães, compositor na parceria com Sidney de Pilares, Manolo, Jorginho Moreira, Kirraizinho e Diogo Rosa, diz que o seu samba tem gerado verdadeira comoção na comunidade nilopolitana. Ele conta que o verso “Sou Beija-Flor na alegria ou na dor”, do refrão principal, tem sido um “momento de êxtase” nas apresentações e que alguns torcedores da escola chegaram a tatuar o verso.

– O nosso refrão tem emocionado toda a quadra. Até os segmentos da escola estão dando uma resposta positiva. A nossa parceria vem na contramão dessa ideia de ficar levando torcida. Nós procuramos valorizar a comunidade, os moradores de Nilópolis, quem é prata da casa. Tem dado certo até agora, tanto que chegamos na final.

Marcelo conta que, diante do período de crise que o país atravessa, uma das preocupações de sua parceria é de economizar o máximo possível. – A gente reaproveitou, por exemplo, todas as bandeiras que utilizamos no ano passado. Além disso, as mudanças que o Laíla fez na disputa ajudaram a reduzir nossos gastos. Agora, na grande final, nós vamos fazer uma grande festa. Vamos trazer diversas surpresas. O que posso garantir é que vamos fazer o povo se emocionar.

'Preferimos investir mais na comunidade do que em torcida', afirma J.Veloso

J. Veloso, da parceria com Marquinho Beija-Flor, Gilberto Oliveira, Dilson Marimba, Jorge Babu e Sandro Chalub, afirma estar animado com uma possível vitória, mas que respeita igualmente todas as outras parcerias e espera que seja escolhido “o que for melhor para a Beija-Flor”. O compositor adiantou que sua parceria deve levar de 300 a 400 pessoas na torcida, embora tenha ressaltado que prefere investir “mais em comunidade do que em torcida”.

– Como diz o próprio Laíla, “a maior torcida é a comunidade”. É claro que é importante fazer aquela festa, como vamos fazer na final, mas temos que conquistar os verdadeiros nilopolitanos. Então, a gente tem o trabalho de distribuir o CD e a letra para toda a comunidade e, quem for gostando do samba, vai se juntando à gente. Até porque a Beija-Flor é uma família.

Veloso destacou o refrão central como sua parte preferida na obra, com destaque para os versos “Uma pena pra escrever, deliberar/ Outra pena pra canção brotar”. Ele considera que há “várias partes muito belas no samba” e contou que o momento de maior empolgação na quadra é durante a passagem do refrão central e no trecho final do samba, iniciado no verso “Vem ver, toda nobreza de uma vida revelar”.

'Fazemos uma homenagem à ‘Ratos e Urubus’ em nosso samba', revela Junior Trindade

Junior Trindade, compositor da parceria de Marcelo Valência, JR Beija-Flor, Thiago Alves, Daniel Guerreiro e Willian Fecheler, acredita que o seu samba merece ganhar a disputa por “tocar o coração de quem é nilopolitano”. O autor conta que a parceria se preocupou em escrever a letra em primeira pessoa, como se o próprio Marquês de Sapucaí contasse sua história.

– O samba foi muito bem trabalhado, nós mudamos a letra por diversas vezes. A gente se preocupou em fazer um samba com pegada e que, ao mesmo tempo, fosse emocionante. Tem um verso no nosso refrão do meio que diz “Da folia sou o rei”, que é uma homenagem ao maior desfile da história da Beija-Flor, talvez o maior que já passou na Sapucaí, “Ratos e Urubus”, que tinha o verso “Da folia eu sou rei”.

Assim como as outras parcerias, Junior disse não dar tanta importância à questão da torcida. – A gente não tá pensando em levar muita torcida porque contamos com a comunidade da escola para que ela abrace o samba. Devemos levar uma média de 200 pessoas na torcida. O samba tem passado muito bem nas eliminatórias, principalmente durante os refrões, que mexem com o público.

'Vamos trazer um ator representando o Marquês na final', conta Serginho Aguiar

Serginho Aguiar, da parceria com DR Rogério, Diego Nascimento, Ronaldo Nunes, Carlinhos Ousadia e Nino Smith, disse estar bastante confiante na vitória. Ele afirma que tem recebido muitos elogios pelo samba e que considera a composição como “diferente” das concorrentes.

– O refrão principal, sem dúvidas, é a parte que mais mexe com a quadra. A gente diz que é um “tsunami do bem”. Tem muita gente inclusive comparando com o “Explode Coração”, do Salgueiro. Eu acho que seria pretensioso da minha parte dizer isso também, mas torço para que o nosso samba ganhe e dê um sacode na Sapucaí também.

O compositor adiantou para o CARNAVALESCO que a parceria trará um ator representando o Marquês de Sapucaí na final. – Vai ser diferente porque ele vai interagir com a galera e vai encenar partes do samba. Essa final promete ser um grande evento. Nós costumamos levar oito ônibus com torcida para as apresentações, mas para a final acredito que levaremos o dobro disso. Mas, independente de quem ganhar, quero ver a Beija-Flor com um grande samba.