Compositores da São Clemente celebram final de samba em conversa com o CARNAVALESCO

O enredo da São Clemente criou um clima de alegria até na disputa de samba da escola. Se geralmente as finais de samba têm clima de embate, na escola da Zona Sul, o cenário será um pouco mais colorido: por conta da proposta de 'Mais de mil palhaços no salão', da carnavalesca Rosa Magalhães, os sambas e compositores da escola embarcaram num clima alegre e descontraído durante a disputa e promoverão, durante a final deste sábado, uma grande festa para consagrar o samba escolhido entre os três finalistas. A expectativa dos finalistas é unânime: levar a São Clemente ao patamar das Campeãs do Carnaval 2016, somando um bom samba à plástica de Rosa e aos outros segmentos da escola.

* OUÇA AQUI OS SAMBAS FINALISTAS DA SÃO CLEMENTE

'Estamos em uma disputa de samba, não de torcida', afirma Rodrigo Índio

Fugindo da ideia da guerra entre torcidas que se disseminou por diversas escolas, permeada por balões e bandeiras, o compositor Rodrigo Índio conta que o foco de sua parceria é o samba. Ao lado dos parceiros Alexandre Araújo, Fabio Rossi, Vinícius Nagem, Amado Osman, Armando Daltro, Rodrigo Telles e Davi Costa, ele compôs uma obra que considera leve e alegre:

– Estamos em uma disputa de samba, não de torcida, então não nos preocupamos muito em levar alegorias ou acessórios. Sem comparar com os outros sambas, porque seria antiético, acredito que nossa obra está adequada a proposta da escola através da letra e da melodia, encaixando-se com a sinopse e também com o conjunto de fantasias que foi apresentado. É um samba leve e alegre, como não poderia ser diferente.

Na quadra, Rodrigo destaca que os refrões e uma parte especial do samba ganham destaque e escolhe a manchete que gostaria de ler no site CARNAVALESCO caso fosse campeão: – Os refrões sempre mexem bastante com a quadra, mas temos um pedacinho em pesecial que tem rendido muito bem e que é tão marcante quanto: são os versos 'Acorda! Esquece a tristeza e vem cantar / 'Pelo telefone' mandaram avisar'. Acredito que temos todos os ingredientes necessários nesse samba. Se ganharmos, a manchete que quero ler é 'Parceria de Rodrigo Índio dá cambalhota, pirueta e chora de alegria na São Clemente'.

'O nosso samba é crítico e acreditamos que ele pode mexer com o público', conta Fabiano Paiva

Integrante da parceria do compositor Marquinho Gravino ao lado dos amigos Alex Jouber, Igor Marinho, Edu Cuíca, Pedrinho Cassa, Ismael David e Allan Careca, Fabiano Paiva destacou que a obra finalista que eles escreveram tem um tom crítico, uma pergunta chave que mexe com a quadra durante as apresentações e faz as pessoas refletirem sobre a história do palhaço e sobre a realidade do Brasil:

– O trecho do samba que diz 'Que palhaço é você? / Quem é irreverente quer saber' faz referência a todas as palhaçadas do país. O nosso samba é critico, a gente acredita que ele poderá mexer com o público da Avenida. Trazendo a crítica e fazendo as pessoas refletirem. O samba é composto por algumas variações melódicas e tem três refrões, o principal é muito cantado. A pergunta que é feita no samba é cantada não só pela nossa torcida, como por outras pessoas que frequentam a quadra – revela Fabiano. 

Fabiano defendeu a vitória do samba porque acredita que ele é irreverente assim como a tradição clementiana e aposta que isso irá proporcionar uma grande interação da escola com o público do desfile: – O samba merece ser campeão porque a gente acredita nessa veia irreverente da escola. Temos certeza que se tivermos a oportunidade, vamos criar uma interação muito grande com público. Se observado de perto, o samba é todo irreverente. Criticamos a questão da aposentadoria do palhaço, por exemplo. Voltar nas Campeãs é meu sonho clementiano e sei que a escola vai lutar por isso. Se formos vitoriosos, a manchete que quero ver no CARNAVALESCO é 'Que palhaço é você? Os irreverentes querem saber: parceria de Marquinho Gravino é campeã na São Clemente' – brinca o compositor.

'Disputa foi como uma grande confraternização', afirma Liomar do Pique Novo

O cantor e compositor Liomar do Pique Novo chegou para somar na parceria dos amigos Walmir Raiz, Luiz, Fábio, Thiaguinho, Rodolfo, Kaká e Paulo da Ponte. Eles também são finalistas na São Clemente. Apesar da disputa com as outras duas parcerias finalistas, Liomar contou em conversa com o CARNAVALESCO que considera o clima de confraternização com os outros compositores: – A gente quer parabenizar todos os compositores dessa final e os que saíram porque fizeram um belíssimo trabalho e levaram alegorias, bandeiras e torcidas muito legais para quadra e o melhor de tudo é que a concorrência entre a gente tem sido uma confraternização. Em nosso samba, os versos do refrão principal levantam bastante a galera da quadra. Eles dizem 'De cara pintada, chegou São Clemente / Nos braços do povo, alertando a gente (…)' – conta Liomar.

Segundo Liomar, a parceria acredita muito na obra criada coletivamente: – A nossa grande aposta nessa disputa é o samba. Acho que o brasileiro vem precisando sorrir com tantas coisas ruins acontecendo e nossa obra proporciona isso, junto com o enredo da Rosa. Se formos campeões, a manchete que eu gostaria de ler é 'Nessa explosão de cores, parceria de Liomar do Pique Novo é campeã na disputa da São Clemente' – finaliza.