Compositores finalistas da Unidos da Tijuca revelam expectativa para a escolha do samba

Faltam poucas horas para que a Unidos da Tijuca conheça o samba que levará para a Avenida homenageando a cidade de Sorriso, no estado do Mato Grosso. Na madrugada de sábado pra domingo, três parcerias finalistas se apresentarão na quadra da escola para que a diretoria possa se decidir. Descartada a possibilidade de junção, uma das três obras será consagrada como o hino tijucano para 2016 e a expectativa dos compositores é alta, conforme eles contaram ao site CARNAVALESCO.

* OUÇA AQUI OS SAMBAS FINALISTAS

'Fizemos um grande samba para a Tijuca', afirma Dudu Nobre

A afirmação de Dudu Nobre se refere ao samba que ele criou ao lado dos amigos Gusttavo Clarão, presidente da Viradouro, o intérprete Zé Paulo e o amigo Cláudio Mattos. A obra é fruto da amizade entre os músicos que são figuras conhecidas no mundo do samba. Dudu era compositor da Mocidade Independente de Padre Miguel até o carnaval passado e contou o porquê de optar pela Tijuca: 

– Minha família tem história na Tijuca. Minha irmã, a Lucinha Nobre, tem uma história muito bonita na escola. Considero o Fernando Horta um dos dirigentes mais sérios do carnaval e observo a lisura da disputa de samba que ele promove. Recebi convites para disputar em três escolas do Especial e minha irmã apontou a escola como uma boa possibilidade e eu fui. Sempre quis assinar um samba com o Clarão, ele é um dos maiores compositores da atualidade, mesmo que esteja atuando como presidente da Viradouro também. O Zé Paulo é um grande músico e intérprete, assim como o Cláudio que já esteve comigo em outra parceria e tem grande capacidade de compor – contou Dudu.

Na visão de Dudu, o samba da parceria é um grande samba feito pra Tijuca: – Não sabemos se o samba vai ser agraciado com a vitória, temos muito respeito pelos outros compositores, mas acho que fizemos um grande samba pra Tijuca. Se vencermos, a manchete que quero ler no site CARNAVALESCO é: 'A Tijuca festeja a parceria de Dudu Nobre e Gustavo Clarão' – elabora o músico.

'Muitas pessoas entraram na nossa torcida ao longo da disputa', conta Daniel Katar

O compositor Daniel Katar tem a companhia de Anderson Benson, Porkinho e Minuetto RGV para a disputa da Tijuca. Ele contou ao CARNAVALESCO que o samba começou com uma torcida pequena na quadra, mas que foi crescendo com o passar do tempo. Segundo ele, a torcida gosta muito do refrão do meio da parceria: 

– O refrão principal explode e eu curto muito, mas a torcida também gosta muito do refrão do meio. Começamos a disputa sem muita torcida e foram chegando pessoas a cada eliminatória e entrando no samba. Vieram pessoas de São Paulo, porque temos compositores de lá. Nosso refrão do meio tem só dois versos, mas a gente percebe nitidamente a animação das pessoas com ele. as temos a percepção quanto a animação – conta Daniel.

Se a parceria sair vencedora da final de sábado, Daniel conta que quer ver uma manchete especial no site CARNAVALESCO: – Caso a gente ganhe, a manchete que eu escolheria é 'Parceria de Daniel Katar semeia sorriso na Tijuca'. O diferencial da nossa torcida é que o pessoal vibra e canta demais.

'Nosso samba é adequado para o horário em que a escola desfila', aponta Fadico

Ao lado de Totonho, Josemar Manfredini e Dudu, o compositor Fadico também é finalista na Tijuca. Ele aponta que a sua obra é adequada a posição de desfile da Unidos da Tijuca: a escola será a sexta e última escola a desfilar no domingo de carnaval. Além disso, ele alega que o samba está adequado ao estilo tijucano:

– Acho que o final do samba, que tem o verso 'O sanfoneiro já chegou, pega a viola e vem pra cá', traz um grande impulso em direção ao refrão. Nessa parte final, temos muito canto e uma alegria bastante contagiante. É comum vermos as pessoas dos segmentos da escola dançando e procurando seus pares para simular uma dança de quadrilha. Nossa letra contempla o enredo de forma adequada e se encaixa no estilo de samba que a Tijuca vem trazendo. Também nos encaixamos no horário de desfile da escola – afirma Fadico.