Concorrente Império Serrano – Samba 33

 

AUTORES:  Sérgio Luis e Nego Bê

PINTEI A SAPUCAÍ, DE VERDE E BRANCO
MINHA EUFORIA, SACODE A MASSA
BATE NO PEITO, COMUNIDADE
O MEU IMPÉRIO ESBANJA FELICIDADE

AINDA MENINA, RESPIRAVA MUSICALIDADE
E TINHA NA VEIA, HERANÇA DE FAMÍLIA
SURGIU UMA CANÇÃO, NAS ASAS DE TIÊ
INSPIRANDO A PEQUENA REALEZA
OIA-LÁ-OXÁ, SONORA REPRESSÃO, MAIS O SAMBA ERA SUA VOCAÇÃO.
EM CORO, UMA VOZ AFINIDA, CONTRA-AUTO ENCANTAVA MAESTRO E MAESTRINA
LAPIDAVAM, UMA JÓIA TÃO RARA, ESCULPIDA A MÃO
ERA IVONE LARA
O APITO DE OURO, NO RUFAR DE UM COURO HARMONIA
ALGO ACONTECIA, NA CORTE IMPERIAL, NOS BAILES, BELEZA SEM IGUAL
LETRAS E MELODIAS, COM SILAS E BACALHAU

DIVA, DONA, DAMA…RAINHA
DANÇANDO JONGO, CANTANDO SAMBA
90 ANOS, QUE NOS ENCANTA
CANTA SERRINHA CANTA

COM UM SORRISO NEGRO, ESPANTA QUALQUER NOSTALGIA
UMA ARTISTA VAI BRILHAR, NESTE PALCO POPULAR
CHAMADO AVENIDA
EMOCIONAR, AO VER O POVO CANTANDO
EXALTANDO O MANTO E AS CORES DO MEU PAVILHÃO
CIDADE ALTA, UM TRABALHO COLETIVO
LINDAS BAIANAS, BELOS VESTIDOS, LEGADO DE TRADIÇÃO
VESTIU-SE DE OURO, MADRI ARCA DO BONFIM
HOJE É O ENREDO DO MEU SAMBA
AMOR QUE NÃO TEM FIM.