Confiança é a base da relação entre agremiações e Roteiro dos Desfiles

Uma relação baseada na confiança e na responsabilidade de manter o mais absoluto sigilo a todas as informações dos desfiles que as agremiações dos grupos Especial e de Acesso A levarão para a Sapucaí. Assim pode ser resumida a parceria entre agremiações, entidades e a Multiplicar Produções, responsável pela produção do Roteiro dos Desfiles. O informativo, distribuído no Sambódromo nos três principais dias de desfile e no sábado das campeãs, é o livro dos sonhos de todo amante do carnaval. Nele estão contidas informações valiosas e explicações detalhadas de cada desfile, um prato cheio para quem quer saber o trunfo de cada agremiação na briga pelo título.

Para que o espectador possa ter acesso ao Roteiro dos Desfiles na Marquês de Sapucaí com toda a organização editorial que lhe é peculiar, a produção do informativo precisa receber o conteúdo – justificativa do enredo e explicação de cada alegoria ou fantasia que passar na Avenida – cerca de 30 dias antes do carnaval. Depois de recebido, o conteúdo é revisado, traduzido para inglês e posteriormente diagramado. Tanta antecedência, poderia fazer com que as escolas desconfiassem de que as preciosas informações de seus desfiles pudessem vazar, mas Marcos Roza, idealizador e diretor do Roteiro dos Desfiles, garante que as agremiações já entenderam a importância do processo.
 
– Eu e a Multiplicar Produções assumimos a responsabilidade junto ao espetáculo e também às escolas. Tudo é mantido no mais absoluto sigilo. Tanto é, que só distribuímos a revista do domingo, por exemplo, no próprio domingo. Não a distribuímos no sábado. Na internet também, o conteúdo só disponibilizado pontualmente às 21h, horário que começa o desfile. É uma questão de respeito ao trabalho de quem contribui para a nossa cultura. O nosso objetivo é enriquecer isso. Ajudar as escolas e o espetáculo – disse ele.

Marcos Roza revela também que pessoas que trabalham nas agremiações nem precisam mais ser lembradas da data limite para o envio das informações do desfile. De acordo com ele, a credibilidade do Roteiro dos Desfiles foi conseguida através do trabalho sério desenvolvido nos últimos três anos e graças a um outro detalhe:
 
– As entidades são parceiras inestimáveis nesse processo. O apoio dado pelo Jorginho Castanheira na Liesa e o Reginaldo Gomes na Lesga são fundamentais. Sem eles poderíamos ter até algum tipo de dificuldade, mas isso não acontece. Pessoas como o Alex de Souza, carnavalesco da Ilha, e Júlio César Farias, pesquisador da Unidos da Tijuca, têm o cuidado de me ligar e até são co-redatores do Roteiro, têm o cuidado de fazerem uma pré-seleção do que vai entrar. Tenho o telefone de todos os carnavalescos e diretores de carnaval. Me tratam muito bem e, ás vezes, não precisamos nem ir aos barracões, pela própria internet conseguimos resolver tudo.

Nem sempre é possível que as escolas entreguem no prazo de 30 dias antes do carnaval todo o conteúdo que entrará no Roteiro dos Desfiles. Roza conta que, no ano passado, a produção conseguiu fechar o informativo faltando 22 dias para o carnaval, mas dois dias antes do desfile ainda foi possível promover uma mudança: trocar o nome do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira do Império Serrano, modificado pela escola às vésperas do carnaval.