Confira a análise cabine a cabine de jurados do desfile da Imperatriz

Cabine 1 por João Santoro

Comissão de frente muito bem formada pelo coreógrafa Débora Colker. A coreografia arrancou muitos aplausos da arquibancada e também pelo jurado módulo. A apresentação do casal teve o mesmo sucesso que a comissão de frente. Desde do início a dupla se mostrou segura e confiante. Alegorias e fantasias de fácil compreensão e adequadas ao enredo. Harmonia oscilou entre as alas, mas no geral foi boa. Pena mesmo foram os buracos abertos na pista. O começo do abre-alas deu problema com a chuteira que vinha na frente e com isso um buraco da distância de 5 torres de som foi aberto. No último carro problemas novamente, esse mais grave o buraco se estendeu quase até o segundo módulo de julgadores.

Cabine 2 por Daniel Guimarães

A Comissão de Frente passou bem a informação proposta. O casal de Mestre-Sala e Porta Bandeira se apresentou muito bem, com sincronismo e bastante técnica. O intérprete Wander Pires, cantou o samba bastante rouco. As Fantasias eram belíssimas, sobretudo as alas "Um predestinado do Juventude", "O galinho de ouro", "A Turquia dança para o rei", "Tesouro de Ramos". As Alegorias muito bonitas, descrevendo bem o Enredo proposto pelo carnavalesco Cahê Rodrigues. A escultura do urubu causou muito impacto. O último carro, que tinha a presença de Zico, passou com dificuldade n módulo. Nessa mesma Alegoria, uma das componentes caiu do cavalo na parte dianteira direita. A Harmonia foi irregular, com alas não cantando o samba inteiro. Exemplos: Alas "O rei do templo sagrado" e "fidalguia tricolor".

Cabine 3 por Geissa Evaristo

A comissão de frente chegou ao módulo com 26 minutos de desfile. A coreografia formada apenas por meninos arrancou aplausos do público durante toda a sua apresentação.  Já o casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira iniciou a sua apresentação com a bandeira dobrada, após o rodopio da bandeira, a mesma se esticou. Foi uma apresentação emocionante e também arrancou muitos aplausos e palmas.  As alegorias e fantasias foram perfeitas em acabamento e beleza, exceto a ala 11, onde muitos componentes estavam com escudo e chapéu com problemas de acabamento. No terceiro carro, que possuía troféus em sua decoração, um componente confundiu o público com a sua semelhança com o homenageado do enredo. Na sexta alegoria com muitos artistas, o público também reagiu cantando o refrão do samba nas altura e os componentes, no geral, também cantaram a obra em uniformidade. Destaque negativo para a condução de Wander Pires no carro de som. Com a voz rouca, diversas vezes parava de cantar, jogando o canto para o público e também realizando muitos cacos no samba. Com 1h15 o desfile encerrou na frente do módulo, quando passou a última alegoria com o Zico, o público gritou "é campeã".

Cabine 4 por Vitor Rangel

A escola chegou no quarto módulo com 34 minutos de desfile. A Comissão de Frente fez uma bela apresentação e foi muito aplaudida por jurados e público, assim como o casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, que levou o público ao delírio com o seu passo em "slow motion". A Harmonia da Imperatriz passou muito forte pelo módulo, com destaque para o canto das alas "Combatentes do Rei Rubro-Negro" e "A Turquia Dança Para o Rei". Já em Evolução, aconteceram muitas falhas. A escola parou por muito tempo diante do quarto módulo de jurados devido a um problema no primeiro módulo. Além disso, devido a demora na dispersão para retirar os carros que chegavam à Apoteose, a alegoria "Rei Coroado no Templo do Futebol" durou cerca de dez minutos para atravessar o espaço entre os setores 10 e 11. Além disso, um buraco se formou também em frente ao quarto módulo quando a Bateria da escola entrou no recuo e a partir da passagem da alegoria "O Deus do Sol Nascente" a escola apertou o passo até o fim do desfile.

Comente: