Confira a análise do desfile da Acadêmicos da Rocinha cabine a cabine de jurados

Cabine 1 – Por João Santoro

Comissão de Frente passou simples e enquadrada no enredo. O jurado, inclusive, levantou e aplaudiu a boa ideia do coreógrafo.

O Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira foi o destaque do desfile, com uma bela fantasia. Apresentaram entrosamento e leveza na dança.

Já nas Alegorias e Fantasias foram o ponto baixo. Alegorias mal acabadas e rasgadas, como o segundo carro. 

Outro ponto negativo foi o buraco deixado pela escola enquanto a bateria se apresentava na cabine.

Harmonia falha, destaque apenas para ala 9, com a fantasia "Tirando onda", que cantava o samba inteiro. A maioria da alas cantavam apenas o refrão, outras nem isso.

Cabine 2 – Por Guilherme Ayupp

Comissão de Frente se apresentou com arremedos de fantasia, inclusive com uma coreografia confusa, mais para passos marcados. Em um momento deixavam guarda-sois para trás onde o casal se apresentava.

O casal não desfraldou a bandeira corretamente, deixando-a frouxa. A fantasia de Dandara estava atrapalhando seu bailado. O casal parecia travado.

Integrantes das alas pouco cantaram o samba, e sem muito empolgação entre elas. A ala dos passistas passou com claros enormes. Rocinha passou calada no módulo 2.

Cabine 3 – Por Geissa Evaristo

A Comissão de Frente chegou com 23 minutos de desfile na 3ª cabine e se apresentaram por cerca de 3 minutos. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira que aparentemente dançava com uma fantasia leve, fez referência à borboleta, símbolo da escola em sua coreografia.

O chapéu da 3ª ala estava com o bico do tamanduá caindo. A ala das baianas estava com a barra da saia descolando e com problemas de acabamento no chapéu.O abre-alas estava com o tecido abaixo do destaque alto rasgado. As composições do carros estavam com sapatos diferentes. Na ala 8 alguns componentes sem boné.

No segundo carro, havia um buraco na frente com a saia. Composições também com o sapato diferente. Ferros a mostra nas plantas que eram decorações do carro. Ala 15 com componente tirando foto pelo celular. Passistas com calçados diferentes.

Buraco a frente da bateria.

Pedaço do pano da frente do 3º carro rasgado para visualização do motorista. Em cima deste carro na parte da frente, pessoas com roupas comuns sem estilização carnavalesca.

Aos 43 minutos a escola começou a acelerar o ritmo.

A ala 20 com sapatos diversos

Ala 16 veio atrás do último carro, antes da ala dos compositores, fugindo do roteiro de desfiles distribuído na Marquês de Sapucaí.

Na terceira cabine o desfile acabou aos 47 minutos.

Cabine 4 – Por Vítor Rangel

Comissão de frente divertiu muito o público e os jurados, sendo bastante aplaudido por todos ao fim da apresentação.

Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira desenvolveu bem a dança numa apresentação segura, com destaque para o Mestre-Sala, com passos rápidos e bem executados. Apresentação foi aplaudida pela jurada do quesito do módulo quatro.

A harmonia passou muito fraca pelo módulo. Destaque negativo para as alas 1, 2, 10, e, em geral, os integrante das alegorias, que passavam cantando quase nada do samba e só se animando no refrão. A excessão foi a ala 17, que passou cantando bastante.

Em evolução, a escola pode perder pontos devido ao enorme buraco que surgiu quando a bateria entrou no recuo. Além disso, as alas 10 e 16 passaram muito desorganizadas, a 8 tinha integrantes sem chapeu e a 21 tinha um componente com camera na mao registrando o desfile.

As alegorias mal acabadas foram outro destaque negativo da passagem.