Confira análise do desfile da Acadêmicos da Cubango cabine a cabine

Cabine 1 por João Santoro
A comissão de frente se complicou na troca de roupa entre uma e a outra parte da coreografia. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira passou limpo, sem maiores problemas. As alegorias foram bem acabadas e de fácil entendimento. As fantasias bem trabalhadas no início do desfile, depois foi caindo a qualidade. Vale destacar as fantasias das composições que foram de bom agrado. A Harmonia da escola não comprometeu como um todo, mas algumas alas passaram caladas. 
 
Cabine 2 por Daniel Guimarães
A Comissão de Frente apresentou bons momentos e encantou o público quando seus componentes colocavam máscaras. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira também fez apresentação correta, com bastante sincronismo e entendimento entre Diego Machado e Natália Pereira. A Harmonia foi boa, tendo as alas "O Brilho do Diamante" e "Afoxé" como destaques. Boas alegorias, sobretudo o Abre-Alas, que era feito de materiais simples, porém causando belo impacto visual. O Samba-Enredo foi muito bem cantado pelo intérprete Marcelo Rodrigues.O ritmo da escola diminuiu um pouco em seu terço final.
 
Cabine 3 por Geissa Evaristo
A Comissão de Frente se apresentou sem problemas frente ao terceiro módulo e arrancou aplausos do público presente. Em um determinado momento em que o mestre-sala ajoelhava rapidamente no chão, o público das frisas gritou. No Abre-Alas, os reflores dos três queijos laterais do primeiro carro do acoplado passaram apagados. A ala 6 possuía resplendores desmontando nas pontas do pescoço onde tinham bolinhas douradas coladas.  A ala 9 possuía riquezas de detalhes até nas sapatilhas. A ala 20 estava com componentes com chapéu caindo. Aos 43 minutos de desfile passou o último carro que trazia personalidades negras do Carnaval, entre elas Tia Surica da Portela, que diferente das demais composições, estava vestida de azul, destoando das cores do grupo. Este carro também passou apagado. Houve fácil leitura do enredo da agremiação de Niterói. O bom samba foi bem cantado entre os componentes.
 
Cabine 4 por Vitor Rangel
Com 27 minutos de desfile, a Comissão de Frente da Cubango chegou à quarta cabine de jurados. A apresentação foi bastante aplaudida por jurados e público, principalmente no momento da transformação dos guerreiros em leões. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira também foi muito aplaudido depois de uma apresentação segura e de muita sincronia entre ambos. A Harmonia da escola passou muito forte a todo momento, com destaque para as alas "Majestades Africanas", "Fruto de Um Amor Proibido" e "O Fruto da África de Todos os Deuses no Brasil de Fé… Candomblé". A Evolução da escola também foi regular. A terceira alegoria, "Mandela – Herança Africana, um Grito de Liberdade", passou pelo módulo com alguns detalhes das esculturas da parte da frente soltos.