Confira análise do desfile da Estácio de Sá cabine a cabine de jurados

Cabine 1 por João Santoro

Comissão de Frente e casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira passaram pela cabine 01 sem problemas. O casal inclusive arrancou muitos aplausos da jurada. Compreensão fácil do enredo nas alegorias e fantasias. Vale ressalva para a grande quantidade de componentes nas alas, não fazendo com que elas ficassem certinhas, mas isso pode ser um estilo de desfile. Harmonia da escola funcionou, ressalva para o último setor que estava um pouco abaixo do restante. 
Alegorias bem acabadas, assim como fantasias.

Cabine 2 por Daniel Guimarães

Comissão de Frente e Mestre-Sala e Porta-Bandeira se apresentaram bem, sem qualquer problema. Harmonia, porém, foi irregular. Em algumas alas, os componentes cantaram apenas os refrões. Exemplo disso foi a ala "Revoltas da Vacina e da Chibata". Alas muito compactadas. Ala "Candomblé no terreiro de João Alabá" estava muito bem fantasiada, causando bom impacto visual, assim como a ala "Ranchos", que com seus adereços de mãos apresentava bom volume.
Alegorias e fantasias de muito bom gosto, com bela divisão cromática.

Cabine 3 por Geissa Evaristo

A Comissão de Frente, coreografada por Tony Tara chegou a cabine com 18 minutos de desfile. Vestidos de branco, representavam o vento, porém não empolgaram o setor. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, com uma bela fantasia apresentou uma coreografia muito bem ensaiada, com passos precisos e sincronizados. Na parte da letra da samba que falava "babalorixá" a dupla fazia coreografia em passos marcados em cima do samba. As alegorias bem trabalhadas, assim como as fantasias, possuíam bons acabamentos e detalhes. O segundo carro e a ala distribuíram frutas.  A evolução também não prejudicada, a escola não precisou aumentar seu ritmo nas últimas alas, assim como aconteceu com diversas outras agremiações. O canto dos componentes, no entanto, deixou a desejar. Com um elogiado Samba-Enredo, a escola apresentou canto irregular. Intenso em determinados momentos e fraco em outros. Também não foi vista a "garra do Leão". O público estava mais animado do que a maioria dos componentes.

Cabine 4 – Vitor Rangel

A Comissão de Frente fez sua apresentação no quarto módulo sem erros e arrancou aplausos de jurados, mas não chegaram a impressionar o público. O casal fez uma boa apresentação, com um momento de falha. Logo no início da dança, o Mestre-Sala teve sua cabeça atingida pela bandeira da escola por não ter se afastado o suficiente da Porta-Bandeira quando ela começou a girar. A evolução da escola passou relativamente bem, com destaque negativo para os "camisados" que atrapalhavam os componentes.  A Harmonia passou forte na maioria absoluta da passagem da escola. Destaque para o canto das alas "Ranchos" e "Birinights".