Confira análise do desfile da Renascer de Jacarepaguá cabine a cabine de jurados

Cabine 1 por João Santoro

A comissão de frente não teve problemas na apresentação, que inclusive foi usada no ensaio técnico. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira com uma bela fantasia bailou tranquilamente na cabine 1, com uma dança leve e bem entrosada. As fantasias estavam com fácil compreensão diferentemente das alegorias que estavam com problemas de acabamento. No abre-alas faltou o Santa Antônio, não dando segurança para os desfilantes que não ficaram no queijo. Destaque para o segundo setor da escola que cantou e muito o samba. 

 
Cabine 2 por Guilherme Alves
A escola iniciou a apresentação no módulo aos 13 minutos. A apresentação da comissão de frente fez uma coreografia muito bem ensaiada e simpática. Já o casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira teve o vento como adversário na hora do bailado, mas não prejudicou a coreografia. Destaque para a roupa da dupla, que brilhosa, causava um bonito efeito.
 
O destaque de chão a frente do Abre Alas estava sem o costeiro da fantasia que era carregado por um ajudante. O Abre-Alas, assim como todo o conjunto alegórico foi bem simples, com algumas partes aparentando estar inacabado. 
 
Em geral, o canto da escola foi regular, porém os intérpretes Evandro Malandro e Diego Nicolau foram o destaque de todo o desfile, conduzindo muito bem a escola.
 
A partir da chegada do segundo casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira ao módulo, a escola passou voando,, sem parar e encerrando seu desfile na cabine 2 aos 45 minutos.
 
Cabine 3 por Geissa Evaristo
Jurado de enredo cantou o samba-enredo até o final do desfile. Aos 23 minutos a Comissão de Frente chegou a cabine. Uma componente estava com o chapéu cobrindo seus olhos, mas não atrapalhou a sua evolução. Houve principio de confusão durante a apresentação da Comissão de Frente, com o presidente, um diretor de harmonia e os cinegrafistas da rede de televisão que está transmitindo o desfile. A apresentação arrancou aplausos do público ao seu fim. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira se apresentou com muito vento, mesmo assim, não tiveram problemas para executar a sua coreografia. A dupla apresentou até o momento a mais bela fantasia da noite. A primeira ala da escola era de passo marcado. O abre alas possuía uma escultura aparentemente inacabada e todos as composições estavam descalças. Um pedaço do forro do chão na parte direita estava rasgado. Destaque para a bela fantasia da ala das baianas. Na ala 5 os homens estavam sem chapéu. 
 
Na segunda alegoria a caixa dos geradores estava com madeiras aparecendo. Houve buraco à frente da bateria. Aos 44 minutos de desfile a escola acelera o passo. No carro 3 os castiçais frontais e traseiros não tinham luz. Aplausos do público para os componentes masculinos desse carro, que descamisados sambavam pra valer. Aos 50 minutos a escola volta com o ritmo normal de desfile, apesar do horário. A frente do quarto e último carro veio Monarco que foi ovacionado pelo público. Nesta alegoria toda colorida, o homenageado Lan e os baluartes da escola. Aos 51 minutos encerrou o desfile na frente da 3ª cabine.
 
Cabine 4 por Guilherme Ayupp
Renascer passou voando pela cabine 4 para não estourar o tempo. Várias alas passaram sem cantar o samba. Algumas fantasias estavam se desfazendo.



A comissão de frente fez uma apresentação correta, mas mais curta pois a escola já estava com sua evolução atrasada. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira também se apresentou rapidamente.



Foi possível ouvir diretores mandando a escola correr