Confira análise do desfile da Viradouro cabine a cabine

Cabine 1 por João Santoro
A Comissão de Frente não realizou muitos movimentos, pareciam marcar passo com uma coreografia confusa. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, com uma bela indumentária, teve erros na sua apresentação ao deixar a bandeira enrolar. Tirando esse início tenso, a escola desfilou bem, com um canto forte e boa evolução. As alegorias e fantasias apresentaram fácil leitura e muito bem acabadas. A escola demonstrou força e vontade durante todo o desfile. 
 
Cabine 2 por Daniel Guimarães
A Comissão de Frente fez uma boa apresentação e conquistou o público, sobretudo quando mandava rosas no lugar de flechas para as pessoas que assistiam o desfile nas frisas. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira dançou com perfeição. O Abre Alas belíssimo, com acabamento primoroso em sua traseira.O enredo foi muito bem apresentado através de suas alegorias e fantasias.A harmonia foi impecável e os componentes cantaram todo o samba de maneira homogênea e com muita intensidade.As últimas quatro alas da escola passaram muito rapidamente, culminando com um ligieiro buraco entre a Velha Guarda e a destaque que vinha a seguida. O Samba Enredo foi muito bem cantado pelo intérprete Zé Paulo. O refrão principal, onde ele parava de cantar para deixar os componentes fazê-lo, funcionou muito bem, levantando também as arquibancadas.As alegorias excelentes, de ótimo gosto.
 
Cabine 3 por Geissa Evaristo
A Comissão de Frente da escola chegou à cabine com 21 minutos de desfile. Os integrantes fizeram uma bela apresentação e a coreografia mesclada com teatralização ganhou aplausos de público e jurados. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira fez uma apresentação bastante segura, sem arriscar muito, mas também sem errar. As quatro alegorias da escola estavam em perfeito acabamento e não apresentaram problemas a frente do módulo. A leitura do enredo do carnavalesco João Vitor foi de muito fácil. Belo conjunto de fantasias, porém com alguns problemas de acabamento nas alas 5, 6, 7, 15 e 19 todas com resplendores caindo e com problemas de acabamentos. A escola passou no mesmo ritmo de passos do início ao fim. Foi a primeira escola a arrancar aplausos e gritos de campeã após a sua passagem.
 
Cabine 4 por Guilherme Ayupp
Passagem arrebatadora da Comissão de Frente da Viradouro com uma coreografia brilhante e que levantou a arquibancada. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira se apresentou com uma garra impressionante. A escola passou cantando, gritando o samba. A Evolução foi linear sem qualquer trecho de lentidão ou correria.