Confira análise do desfile do Império Serrano cabine a cabine

Cabine 1 por João Santoro
A Comissão de Frente passou sem problemas. A jurada do quesito aplaudiu muito a apresentação e depois conversou com a jurada do lado. O casal mostrou certa lentidão na hora de executar os movimentos da dança. A harmonia da escola foi boa, com a maioria das alas passaram cantando. O abre-alas da escola teve problema na embreagem e um enorme buraco foi formado bem em frente ao módulo de julgadores. Da metade para o final a escola melhorou bastante na animação. As fantasias, em sua maioria com leitura fácil, mas que não trazia muita riqueza.
 
Cabine 2 por Daniel Guimarães
A Comissão de Frente teve bons momentos em sua coreografia. Muito sincronismo e simpatia entre os componentes. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira se apresentou bem em frente a segundo cabine. Técnica, sincronia e entendimento no olhar. O Abre Alas passou com a frente apagada. Já o primeiro setor da escola passou apressadamente na segunda cabine. A ala "O Quilombo de Santa Rita de Bracuí" deixou a desejar no seu canto. A fantasia da ala "Cana de açucar" apresentava material simples, mas que causava um belo efeito visual. Outro fato que merece destaque nessa ala é o forte canto. A ala "O Jongo" com belíssima coreografia e canto empolgante. Apresentação emocionante. Houve problemas no acabamento da parte traseira esquerda do segundo carro. A ala "As belezas naturais das ilhas de Angra dos Reis" se destacou com seu canto. A ala "Pássaros" haviam muitos componentes sem cantar. A ala "O mar de Angra é o mar de Iemanjá" com bom canto. A escola se apresentou utilizando em excesso o mesmo tom de verde cítrico em suas Alegorias e Fantasias. A terceira e quarta alegorias teve nível abaixo das outras.
 
Cabine 3 por Alberto João
A comissão de frente fez uma exibição simples com poucos movimentos criativos. Em um dos momentos os integrantes ficavam apenas com uma camisa simples de malha. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira fez uma apresentação com pouco vigor, mas sem erros. No conjunto de alegorias, a escola teve problemas de acabamento em todos os carros. A leitura do enredo que é uma característica do carnavalesco não aconteceu. Mesmo comentário vale para o conjunto de fantasias. Apesar da boa diversidade de cores, a leitura foi confusa. O samba teve um rendimento mediano com destaque em alguns pontos e ausência de canto em outras alas. No terceiro módulo a escola não teve problema de Evolução.
 
Cabine 4 por Guilherme Ayupp

A cabeça da escola sentiu o problema e passou fria, cantando pouco. A Comissão de Frente fez apresentação correta e sem falhas. O primeiro casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira dançou de maneira burocrática e sem garra, apesar de corretamente.O conjunto alegórico com diversas falhas de acabamento e fantasias com matériais simples que não surtiram o efeito esperado.